Início / Agenda / Estratégia Nacional para o Mar 2021-2030 está em consulta pública. Já participou?

Estratégia Nacional para o Mar 2021-2030 está em consulta pública. Já participou?

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Estratégia Nacional para o Mar 2021-2030, o instrumento de política pública que apresenta a visão, os objectivos, as áreas de intervenção e as metas do país para o período 2021–2030, no que se refere ao modelo de desenvolvimento do Oceano para a próxima década. foi colocada em consulta pública esta segunda-feira, dia 28 de Setembro. A participação pode ser feita até 2 de Novembro.

“A visão desta nova estratégia assenta em promover um oceano saudável para potenciar a economia, a prosperidade e o bem-estar dos portugueses, e afirmar a liderança de Portugal na governação do oceano, apoiada no conhecimento científico, porque um oceano saudável é a condição primordial para que a sociedade portuguesa possa colher todos os benefícios nele e dele gerados”, refere um comunicado do Gabinete do Ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos.

A Estratégia conta já com duas sessões de apresentação pública. A primeira realiza-se a 6 de Outubro, a partir das 14h30 na CCDR Algarve. A segunda, a 12 de Outubro, a partir das 15 horas na CCDR Centro.

Pode consultar a Estratégia Nacional para o Mar 2021-2030 e participar com a sua opinião aqui.

A Estratégia

De acordo com as projecções da OCDE para 2030, a economia azul deverá ultrapassar o crescimento da economia global como um todo, quer em termos de valor acrescentado bruto, quer em termos de emprego.

“É por isso que o seu desenvolvimento é um dos grandes objectivos desta década para Portugal, com especial enfoque nos sectores emergentes acima referidos. No entanto, este objectivo está dependente do objectivo estratégico 1. O desenvolvimento da economia azul deve assentar no princípio base de ecossistemas saudáveis e protecção das comunidades costeiras, utilizando princípios de circularidade, inclusividade, equidade e sustentabilidade, pois só em harmonia ambiental, social, cultural e económica poderemos prosperar verdadeiramente. Assim, em harmonia com o Plano de Acção para a Economia Circular, importa desenvolver uma economia circular e de base biológica onde os princípios de redução, substituição, reutilização, reciclagem e reaproveitamento de recursos primários são o novo normal”, refere o documento.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

CoaClimateRisk avalia impactos das alterações climáticas nas culturas agrícolas no Vale do Côa

Partilhar            O CoaClimateRisk é o mais recente projecto de investigação, em que a ADVID — Associação …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.