Início / Agricultura / Estenfiliose da pêra rocha: conídios por pomar aumentam ligeiramente em todos os pomares monitorizados pelo INIAV

Estenfiliose da pêra rocha: conídios por pomar aumentam ligeiramente em todos os pomares monitorizados pelo INIAV

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O INIAV — Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, como coordenador do Grupo de Trabalho da Estenfiliose, informa que, na semana de 19 a 26 de Julho, o número médio de conídios por semana/cm2/pomar aumentou ligeiramente em todos os pomares monitorizados.

O pomar da Sobrena foi o que apresentou maior número médio de conídios por centímetro quadrado (22,2), seguiram-se os pomares da Maiorga (13,8), da Picanceira (10,3) e de Alcobaça (8,3), segundo a 24ª Informação do GT Estenfiliose, de 28 de Julho de 2021.

Já o número médio de ascósporos/semana/cm2/pomar manteve-se em todos os pomares monitorizados.

Quanto ao número médio de ascósporos por centímetro quadrado foi igual nos pomares da Sobrena, da Picanceira e de Alcobaça (0,1). Não se observaram ascósporos no pomar da Maiorga.

Número médio de esporos

Por sua vez, o número médio de esporos (conídios + ascósporos)/semana/cm2/pomar aumentou ligeiramente em todos os pomares monitorizados.

O pomar que apresentou maior número médio de esporos por centímetro quadrado foi o da Sobrena (22,3), seguiram-se os pomares da Maiorga (13,8), da Picanceira (10,3) e de Alcobaça (8,3).

Comparando a média de 2017 até 2020 do número médio de esporos/semana/cm2/pomar com a da mesma semana (semana 29) de 2021, verifica-se que os valores deste ano são superiores 2,1 vezes no pomar da Sobrena, 1,7 vezes no pomar da Maiorga, 1,3 vezes no pomar da Picanceira e 1,2 vezes no pomar de Alcobaça.

Grupo de Trabalho da Estenfiliose

Considerando a necessidade de controlar a estenfiliose, uma doença que está a afectar a produção e a qualidade da pêra rocha e para a qual não existem ainda produtos fitofármacos que consigam neutralizar esta praga de uma forma eficaz, foi constituído um grupo de trabalho que tem como missão elaborar um plano de acção para controlo desta doença e do qual fazem parte o INIAV, a DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária, a Direcção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo (DRAPLVT), a ANP — Associação Nacional de Produtores de Pêra Rocha e o  COTHN — Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional.

Como coordenador do GTestenfiliose, o INIAV presta informações regulares sobre a evolução do número de esporos nos pomares do Oeste.

Pode ler a 24ª Informação do GT Estenfiliose completa aqui.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

Petição contra a alteração da idade para assistir ou participar em touradas está a chegar aos 18 mil subscritores

Partilhar              O Conselho de Ministros aprovou no dia 14 de Outubro o decreto-lei que altera a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.