Início / Agricultura / Estação de Avisos de Entre Douro e Minho recomenda aplicação de fungicida na vinha contra o míldio

Estação de Avisos de Entre Douro e Minho recomenda aplicação de fungicida na vinha contra o míldio

A Estação de Avisos Agrícolas de Entre Douro e Minho recomenda a protecção das vinhas contra o míldio (Plasmopara vitícola) com a aplicação de um fungicida.

“As precipitações e temperaturas mínimas necessárias, ocorridas nos dias 26 e 27 de Abril, criaram condições para infecções primárias de míldio. Prevê-se o aparecimento de manchas, resultantes destas infecções, entre os dias 7 e 8 de Maio”, refere a Circular nº 05/ 2022 daquela Estação de Avisos.

Se já fez um tratamento contra o míldio e se o período de validade terminou, deve renová-lo. Se o tratamento está ainda válido, trate apenas depois de terminada a validade, acrescenta a mesma Circular, realçando que algumas castas são menos susceptíveis ao míldio, como por exemplo, Alvarinho e Vinhão. Por outro lado, são consideradas castas sensíveis Arinto (Pedernã), Avesso, Borraçal, Trajadura e Tinta Roriz.

No combate ao míldio em viticultura no Modo de Produção Biológico, são autorizados, produtos à base de cobre, cerevisana e óleo de laranja.

Podridão Negra

Quanto à Podridão Negra (black rot) — Phyllosticta ampelicida (= Guignardia bidwellii), dizem os técnicos daquela Estação de Avisos Agrícolas que “já observámos as primeiras manchas de black rot nas folhas, em pequena quantidade e em videiras mais adiantadas. O primeiro período de risco de ataque aos cachos decorre a seguir à floração – alimpa, na formação dos bagos, até ao pintor”.

“A não ser em locais onde se observem habitualmente ataques graves, não há ainda necessidade de tratar contra o black rot. Todavia, no caso de decidir tratar, aplique um fungicida anti-míldio de acção simultânea contra o black rot”, acrescentam.

No combate ao black rot em vinhas no Modo de Produção Biológico, são autorizados produtos à base de cobre.

A Circular nº 05/ 2022 da Estação de Avisos Agrícolas de Entre Douro e Minho (que pode consultar aqui) alerta ainda para a Podridão Negra, o oídio da videira, ataques de erinose, traça-da-uva, cigarrinha verde e granizo.

Por outro lado, dedica-se a doenças no kiwi, macieira, pereira, batateira e plantas ornamentais.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

PS Açores acusa Governo Regional de falhas na gestão das quotas pesqueiras

Partilhar              O Partidos Socialista (PS) dos Açores entregou um requerimento ao Governo Regional dos Açores, intitulado …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.