Início / Agricultura / Estação de Avisos de Castelo Branco recomenda tratamento contra a mosca da azeitona

Estação de Avisos de Castelo Branco recomenda tratamento contra a mosca da azeitona

A Estação de Avisos Agrícolas de Castelo Branco, na azeitona para conserva, aconselha a efectuar tratamento com insecticida homologado. Nos olivais cuja produção de azeitona é para azeite, ainda não estão reunidas as condições que justifiquem a realização de tratamento, deve aguardar por nova circular, diz ainda aquela Estação de Avisos.

A importância dos estragos da mosca da azeitona (Bactrocera (Dacus) oleae) depende dos fins a que se destina a produção. Na azeitona de conserva a simples picada da postura retira o seu valor comercial. Quando o destino da azeitona é a produção de azeite, os prejuízos podem ser quantitativos (queda precoce dos frutos) e qualitativos (as reacções de oxidação que se dão na polpa tornam os azeites mais ácidos e com índices elevados de peróxidos), explica a Circular 12/22 da Estação de Avisos Agrícolas de Castelo Branco, de 16 de Agosto.

E acrescenta que a partir da lenhificação do caroço a azeitona fica receptiva ao ataque da mosca. Recomenda assim a monitorização da praga através de instalação de armadilhas e amostragem dos frutos.

2Nos nossos postos de observação biológica o voo da praga já teve início, o número de adultos capturados nas armadilhas aumentou e nas observações que efectuámos à lupa em amostras de azeitonas gradas, atingiu-se o nível económico de ataque (1% de frutos picados com formas vivas – ovos e larvas viáveis)”, refere a mesma Circular.

A Circular 12/22 (ver aqui) tem também recomendações para doenças e pragas na macieira e pereira, pessegueiros e nectarinas, laranjeiras e tangerineiras e vinha.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Opinião Confagri. Cooperativismo: um setor para o futuro!

Partilhar              Opinião de Nuno Serra, Secretário-Geral Adjunto da Confagri — Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas Existe …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.