Início / Agricultura / Estação de Avisos Agrícolas de Entre Douro e Minho alerta para pragas dos frutos e hortícolas

Estação de Avisos Agrícolas de Entre Douro e Minho alerta para pragas dos frutos e hortícolas

A Estação de Avisos Agrícolas de Entre Douro e Minho alerta para os cuidados a ter contra uma série de pragas que afectam os frutos e as hortícolas.

Por outro lado, alerta que está em curso a execução do programa  Regime de Apoio à Reestruturação e Reconversão da Vinha (VITIS). “De forma a obter o êxito esperado deste e de outros investimentos na plantação e reconversão de vinha, recomendámos, na circular nº 20/2020, a adopção de um conjunto de medidas culturais, a observar na preparação de terrenos e na plantação. Consulte aqui“.

No que diz respeito à cultura do kiwi, aquela Estação de Avisos refere a bacteriose da actinídea (Pseudomonas syringae pv. actinidae): “se está a fazer a poda ou ainda não começou, releia aqui as recomendações que divulgámos na Circular nº 21/2020″.

Citrinos

Quanto aos citrinos, a Estação de Avisos Agrícolas de Entre Douro e Minho chama atenção para a psila Africana (Trioza erytreae). Nesta época do ano, observam-se novos ataques desta praga, sobretudo nas folhas dos rebentos novos dos limoeiros. “Não corte as folhas mais velhas nem os rebentos novos, com sintomas de psila. Se o ataque for grave, aplique um insecticida dirigido aos rebentos novos com larvas e ninfas de psila. Nos locais onde se fizeram largadas do parasitoide Tamarixia dryi e nas proximidades, não aplique insecticidas. (leia mais aqui)”.

A Estação de Avisos acrescenta que “já se observou a adaptação do parasitoide na Região. Se aplicar pesticidas naqueles locais, corre-se sério risco de destruir os parasitoides, inviabilizando a sua instalação e controlo futuro da praga”.

Para a luta química está homologado o produto à base de acetamiprida, Epik SL, Epik SG, Polisect Ultra Pronto (uso não profissional). Aplicar apenas nas árvores infestadas e nos ramos com sintomas; (mais informações aqui).

No Modo de Produção Biológico são autorizados insecticidas à base de azadiractina (Align, Fortune Aza), óleo parafínico (Promanal Agro: Naoki; Sensei; Fibro; Ovitex), óleo de laranja (Limocide J, Prevam) e piretrinas (Py Ganic), para combater a psila africana dos citrinos (leia mais aqui). Estes produtos podem ser utilizados
também noutros modos de produção.

Hortícolas

Nas hortícolas, quanto à podridão basal na cebola (Fusarium oxisporum fsp. cepae), aquela Estação de Avisos refere que a cebola armazenada amolece e apodrece a partir das escamas interiores do bolbo, cobre-se de bolores brancos, exalando o mau cheiro característico. A prevenção deve ser feita desde o viveiro ao local de plantação definitivo.

Quanto a medidas preventivas, aquele organismo aconselha a utilizar planta (cebolo) proveniente de viveiro isento de Fusarium; mudar frequentemente o local de plantação do cebolo, alternando com outras culturas (de 5 em 5 anos, mesmo não havendo sintomas da doença); utilizar estrumes bem curtidos, tanto nos viveiros e alfobres, como na plantação definitiva; e proceder a regas sem exageros, de preferência por alagamento (evitar a rega por aspersão, para não espalhar os esporos do fungo). Plante o cebolo em talhões armados em camalhão, para uma melhor drenagem do solo.

Pode consultar a Circular 01/2021 da Estação de Avisos de Entre Douro e Minho aqui.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Preços na produção industrial aumentam 19,9% em Dezembro de 2021

Partilhar               O Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) registou uma variação homóloga de 19,9% …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.