Início / Agricultura / Espanha: produtores de arroz da Extremadura pedem suspensão de importações de arroz de Myanmar

Espanha: produtores de arroz da Extremadura pedem suspensão de importações de arroz de Myanmar

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os produtores espanhóis da Extremadura pediram a suspensão da importação de arroz de Myanmar para a União Europeia, perante a situação política e humanitária depois do golpe de Estado na antiga Birmânia.

O sector arrozeiro da Extremadura, representado pelas Cooperativas Agro-alimentarias Extremadura, a Mesa del Arroz de Extremadura, PAG Extremadura Asaja e a UPA-UCE Extremadura, reuniu-se, a 8 de Fevereiro, com o eurodeputado espanhol Ignacio Sánchez Amor.

“Não é possível que a Europa esteja a dar vantagens tarifárias a um país que já não respeita os direitos humanos e as liberdades, razão pela qual se pede uma mudança de rumo nesta política, pelo menos até ao restabelecimento da normalidade”, destacam as entidades que representam o sector do arroz na Extremadura.

Um dos maiores exportadores de arroz para a UE

Myanmar é um dos maiores exportadores de arroz para o mercado europeu por ter um regime comercial especial pelo acordo “Tudo menos armas”, que regula as relações comerciais com a União Europeia e permite a importação de arroz asiático com 0% das taxas.

A Extremadura é a segunda região produtora de arroz de Espanha, depois da Andaluzia, representando 20% do arroz que se produz em Espanha e destinando a este cultivo um total de 21.083 hectares na última campanha, o que supõe 21% da superfície nacional de arroz.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

Ministra da Agricultura inaugura reabilitação do Aproveitamento Hidroagrícola da Camba

Partilhar              A ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, e o secretário de Estado da Agricultura …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.