Início / Agricultura / Espanha analisa aumento dos preços das matérias-primas com Comissário Europeu da Agricultura

Espanha analisa aumento dos preços das matérias-primas com Comissário Europeu da Agricultura

O ministro da Agricultura, Pescas e Alimentação de Espanha, Luis Planas e o Comissário para a Agricultura e Desenvolvimento Rural da União Europeia, Janusz Wojciechowski, reuniram-se para analisar o aumento dos preços das matérias-primas que afecta todas as explorações agrícolas da União e a rentabilidade dos agricultores e produtores pecuários, como resultado do aumento dos custos de certos factores, como a ração, fertilizantes ou energia.

No encontro, realizado em Espanha nas instalações do Ministério, também foram discutidos, entre outros assuntos, o procedimento para aprovação do Plano Estratégico da Política Agrícola Comum (PAC) e as relações comerciais com países terceiros.

Planas destacou a boa harmonia entre o Ministério e o Comissário e referiu que a sua primeira visita a Espanha resultou em “um equilíbrio mais favorável até do que as expectativas”, refere uma nota de imprensa do Ministério da Agricultura espanhol.

O comissário da Agricultura, que ontem visitou a Ilha de La Palma para ver os danos causados ​​pela erupção do vulcão Cumbre Vieja, completou hoje, 14 de Janeiro, a agenda da sua visita a Espanha com um dia de trabalho na sede do Ministério.

Reunião com organizações profissionais

O Comissário e o ministro reuniram-se primeiro com as organizações profissionais agrícolas (Asaja, COAG e UPA) e Cooperativas Agroalimentares de Espanha. Posteriormente, Luis Planas e Janusz Wojciechowski realizaram um encontro bilateral em que o ministro reiterou sua preocupação com a subida dos preços das matérias-primas.

Planas considera que a Comissão Europeia deve “agir para tentar abreviar ao máximo esta situação” porque é uma situação que afecta toda a União. “A resposta não pode ser apenas nacional, temos que actuar de forma coordenada e a Comissão deve desempenhar um papel de liderança e coordenação porque somando as respostas nacionais seremos mais eficazes”, disse o ministro.

Considerou também que, se a Comissão coordenar a resposta, evitará que alguma intervenção nacional gere uma distorção nos mercados, o que não é desejável e afecta todos os outros. O assunto, que já foi tratado nos dois últimos Conselhos dos Ministros da Agricultura da UE, será novamente abordado na que se realizará na próxima segunda-feira, dia 17. “Não podemos deixar que a situação se resolva pela inércia”, enfatizou Planas.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Captura de de pescado aumenta 67% em Novembro de 2021

Partilhar               O volume de capturas de pescado em Portugal, em Novembro de 2021, aumentou 66,7% …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.