Início / Agricultura / Espanha: “Aceite de Jaén” já é uma Indicação Geográfica Protegida

Espanha: “Aceite de Jaén” já é uma Indicação Geográfica Protegida

A Comissão Europeia registou Aceite de Jaén” como Indicação Geográfica Protegida no registo europeu das Denominações de Origem Protegidas (DOP) e das Indicações Geográficas Protegidas (IGP).

O “Aceite de Jaén” é um azeite extra virgem, obtido exclusivamente por procedimentos mecânicos, directamente dos frutos das oliveiras (Olea europaea L.) cultivadas na área geográfica definida (toda a província de Jaén, situada no sudeste da Península Ibérica). Do ponto de vista organoléptico o Aceite de Jaén caracteriza-se por aromas de azeitonas limpas, sãs e frescas, colhidas antes de 31 de Dezembro, quando os atributos de amargo e picante são muito marcados.

Variedades

Este azeite é obrigatoriamente produzido a partir das seguintes variedades:

  • Variedade principal: Picual, variedade autóctone que representa mais de 90 % da superfície oleícola da área geográfica;
  • Variedades secundárias autóctones: Manzanilla de Jaén, Royal de Cazorla e Carrasqueño de Alcaudete.
  • Variedades não autóctones: Hojiblanca, Arbequina e Picudo.

Os rótulos devem obrigatoriamente incluir a menção «Indicación Geográfica Protegida “Aceite de Jaén”», impressa de forma destacada, em caracteres claros e indeléveis, o logótipo específico da IGP e o logótipo da União Europeia.

Como garantia da conformidade e da origem, os recipientes para comercialização do “Aceite de Jaén” devem ostentar um contra-rótulo numerado, não reutilizável. Esses contra-rótulos são controlados e expedidos pelo Conselho Regulador, o órgão de gestão da Indicação Geográfica Protegida.

A relação entre o produto e a origem geográfica assenta na reputação da denominação “Aceite de Jaén” que, por um lado, é consequência do valor material do produto, por sua vez derivado da combinação de variedades de azeitonas, da localização geográfica e das condições pedo climáticas. A sua reputação deve-se também à percepção do seu valor intangível, assente na história do olival e do azeite de Jaén, com vários séculos.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Suínos, ruminantes e aves de produção em debate nas II Jornadas Técnicas Vetlima

Partilhar              As II Jornadas Técnicas Vetlima realizam-se nos dias 2, 3, 6 e 7 de Junho …

5 comentários

  1. O que escreveram foi um enorme disparate! “A Comissão Europeia registou o azeite espanhol, “Aceite de Jaén“, com a a denominação no registo das denominações de origem protegidas e das Indicações Geográficas Protegidas (IGP).”

    Isto não quer dizer nda e só confunde

    O que aconteceu foi que” A Comissão Europeia registou Jaén como Indicação Geográfica Protegida para azeite, no Registo das Indicações Geográficas e das Denominações de Origem.”

    Todo o resto da noticia é uma enorme confusão e denota nenhum conhecimento na matéria. Posso ajudar e explicar o assunto a quem redige estas notícias

  2. Obrigado pela ajuda.

    Texto alterado.
    Cumprimentos,
    Carlos Caldeira

  3. gran noticias para este territorio que produce este gran aceite.

  4. Chegou a hora de a província de Jaén ter uma indicação geográfica protegida para o azeite, para além das denominações de origem mais ligadas a áreas específicas (Serra Mágina, Serra de Cazorla e Serra de Segura). Tenha em mente que 25% do azeite do mundo é produzido nesta província! Não é brincadeira.

  5. Por fin, tenemos en nuestra tierra esta tan ansiada Indicación Geográfica, llevamos mucho tiempo esperando que Jaén tenga una denominación de origen propia del aceite de oliva virgen extra, ¡enhorabuena!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.