Início / Agricultura / Elvira Fortunato: impacto das alterações climáticas nos solos e na flora é possível de ultrapassar “com mais ciência”

Elvira Fortunato: impacto das alterações climáticas nos solos e na flora é possível de ultrapassar “com mais ciência”

“Só a ciência permitirá enfrentar com sucesso os desafios que atravessamos”, disse a ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, na inauguração das instalações do InnovPlantProtect, em Elvas.

“O Mundo convoca-nos para mitigar a mudança climática, que está a ter um impacto muito negativo na atmosfera, nos oceanos, nos solos, na fauna e na flora. Ter um ambiente sustentável permitirá ter uma sociedade mais desenvolvida, mais justa e mais inclusiva. Acreditamos que é possível enfrentar com sucesso estes desafios com mais ciência”, afirmou Elvira Fortunato.

“Em particular, este CoLAB InnovPlantProtect trabalha activamente para encontrar soluções práticas, inovadoras e sustentáveis numa área vital como é a da agricultura e da preservação do ambiente e dos recursos naturais”, afirmou a ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

CoLAB fundado em 2019

Este Laboratório Colaborativo, fundado em 2019, tem como missão desenvolver soluções inovadoras de base biológica, com o objectivo de proteger as culturas de pragas e doenças, e prestar serviços de diagnóstico e monitorização, contribuindo, assim, para a sustentabilidade dos sistemas agrícolas.

É uma iniciativa coordenada pela Universidade Nova de Lisboa, contando como sócios com o Instituto de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV), a Universidade de Évora, o Instituto Politécnico de Portalegre, a Câmara Municipal de Elvas, a Bayer Crop Science, a Syngenta Crop Protection, a Fertiprado, o Centro de Biotecnologia Agrícola e Alimentar do Alentejo (CEBAL), a Associação Nacional de Produtores de Proteaginosas, Oleaginosas e Cereais (ANPOC), a Associação Nacional de Produtores de Milho e Sorgo (Anpromis), a Casa do Arroz e a Federação Nacional das Organizações de Produtores de Frutas e Hortícolas (FNOP).

Os laboratórios colaborativos dedicam-se à produção, difusão e transmissão de conhecimento, através de prossecução de agendas próprias de investigação e de inovação, unindo entidades participantes tão distintas como instituições de ensino superior, unidades de investigação, centros tecnológicos, empresas, associações empresariais, autarquias e outros parceiros.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

IFAP paga 119 M€ de apoios aos sectores agroflorestal e das pescas em Setembro

Partilhar              O Ministério da Agricultura e da Alimentação informa que, no final do mês de Setembro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.