Início / Agricultura / EDIA actualiza e expande a área coberta pelos ortofotomapas

EDIA actualiza e expande a área coberta pelos ortofotomapas

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A EDIA — Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva já tem acessíveis no seu site os ortofotomapas de 2019, dando assim continuidade à disponibilização gratuita dos seus dados geográficos.

Os ortos agora disponibilizados, que cobrem toda a área do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva, EFMA, expandem-se para jusante de Pedrógão até à zona do Pomarão, junto a Mértola.

Tal como em 2017, são disponibilizados em duas coberturas, uma com cor verdadeira e outra de “falsa-cor” com banda de infravermelhos.

Dados úteis na gestão de uma exploração agrícola

Estes ortofotomapas são frequentemente procurados pelos beneficiários e investidores do EFMA para implementação de projectos agrícolas, sendo igualmente úteis na gestão de uma exploração agrícola, no planeamento, em avaliações prediais, entre outras aplicações.

Estes dados podem ser redistribuídos e usados para qualquer fim, desde que se cumpram determinados requisitos, nomeadamente informação sobre a sua origem e propriedade e sobre eventuais alterações que tenham sido efectuadas, entre outros.

Os ortofotomapas  são mapas feitos a partir de uma fotografia vertical aérea transformada e rectificada para corrigir as deformações decorrentes da perspectiva.

“Ao disponibilizar gratuitamente os seus dados geográficos, a EDIA continua a apostar na promoção do desenvolvimento económico e social do espaço Alqueva”, diz um comunicado da entidade.

Os Dados Alqueva podem ser descarregados no site da EDIA, na área de apoio ao agricultor, aqui.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Ambição Agro 2020-30. António Costa: “robustecer sector agrícola nacional é fundamental para recuperar economia”

Partilhar            O primeiro-ministro António Costa afirmou que para recuperar e a economia e torná-la mais resiliente …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.