Início / Agricultura / Economia Circular. Projecto REiNOVA_Si apoiou 32 empresas agroalimentares de Portugal e Espanha

Economia Circular. Projecto REiNOVA_Si apoiou 32 empresas agroalimentares de Portugal e Espanha

O projecto internacional REiNOVA_Si, liderado pelo Politécnico de Leiria, apoiou um total de 32 micro empresas e PME portuguesas e espanholas, do sector agroalimentar, no desenvolvimento de produtos e processos de produção inovadores adaptados aos princípios da Economia Circular.

No âmbito do projecto foram concretizados diagnósticos aos ciclos produtivos das 32 empresas e apoiada a sua capacitação em Economia Circular, tendo sido desenvolvidos planos de acção destinados a 14 dessas empresas, para melhoria dos seus processos e/ou produtos, utilizando práticas mais circulares.

A sessão de encerramento e apresentação dos resultados do projecto, que iniciou em Julho de 2019 e termina em Abril de 2022, decorreu ontem, dia 3 de Março, na Biblioteca José Saramago, sita no campus 2 do Politécnico de Leiria.

“O REiNOVA_Si tinha como objectivo estimular a implementação de projectos inovadores para a adaptação dos processos de produção aos princípios da Economia Circular. O projecto pretendia ajudar as PME e micro empresas do sector agroalimentar a caminhar para modelos de negócio que garantam que todos os recursos são usados da forma mais eficiente possível”, refere Eduarda Fernandes, professora e investigadora do Politécnico de Leiria, presidente da Startup Leiria e representante do consórcio REiNOVA_Si.

Empresas apoiadas

A maioria das 32 empresas seleccionadas pelo projecto desenvolve a sua actividade em subsectores como a fruta, carne, lacticínios, azeite, vinho ou apicultura, com algumas a trabalharem em produtos mais específicos como licores, coalho, derivados de cereais e aloé vera. A lista com as empresas apoiadas está disponível aqui.

As regiões Centro-Castela e Leão e Alentejo-Centro-Extremadura foram as áreas de cooperação do REiNOVA_Si, que incluiu um total de 17 NUTS III, seleccionadas por serem áreas circundantes às cinco “grandes zonas urbanas”, onde estavam localizados os parceiros do consórcio: Leiria, Castelo Branco, Évora, Valladolid e Badajoz.

Uma componente central do projecto consistiu no desenho de um novo modelo de consultoria na área da ecoinovação, adaptado às micro e PME do sector agroalimentar, com o intuito de acelerar a transição do sector para as práticas de Economia Circular.

Numa fase inicial, o projecto focou-se na elaboração de diagnósticos aos ciclos produtivos das 16 empresas portuguesas e das 16 empresas espanholas seleccionadas, bem como na sua capacitação, tendo sido promovidas três acções de sensibilização em formato de webinars, com a presença de 250 participantes, e oito acções de capacitação em formato de workshops, com 150 participantes.

Nestas ações foram abordadas as diferentes metodologias em ecodesign e ecoinovação, estratégias empresariais de circularidade e histórias de sucesso na geração de valor e novos modelos empresariais baseados nas oportunidades oferecidas pela Economia Circular, tendo sido igualmente apresentadas algumas ferramentas, como o cálculo da pegada hídrica ou da pegada carbónica, que permitem valorizar os esforços das organizações em tornar os seus processos mais circulares.

Na fase seguinte, 14 das 32 empresas foram apoiadas na concepção e implementação de um plano de acção que visa permitir tirar partido das oportunidades de melhoria em termos de circularidade identificadas. Os planos de acção desenvolvidos para cada uma das 14 empresas consistiram, por exemplo, tanto no estudo de um subproduto que não tinha sido utilizado até então, para avaliar as suas possibilidades de revalorização, como na concepção de um plano de optimização para reduzir o consumo de energia.

A maioria das 14 empresas beneficiárias (sete de Portugal e sete de Espanha) desenvolveu produtos ou serviços que podem ser comercializados no sector alimentar, na área da cosmética e para aproveitamento energético. Todos os sectores de aplicação dos novos produtos evidenciam potencial de valorização dos resíduos/subprodutos, que podem resultar em benefícios económicos para as empresas.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Última Feira Rural de Torres Vedras de 2023 realiza-se a 7 de Outubro

Partilhar              A última edição de 2023 da Feira Rural de Torres Vedras acontece no próximo sábado, …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.