Início / Agricultura / DRAP LVT realça importância da inspecção fitossanitária na importação de citrinos

DRAP LVT realça importância da inspecção fitossanitária na importação de citrinos

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Direcção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo (DRAP LVT) relembra a importância da inspecção fitossanitária à importação de frutos de citrinos de países terceiros.

Na área geográfica da DRAP LVT estão designados três postos de inspecção fitossanitária fronteiriços (porto de Lisboa; porto de Setúbal e aeroporto de Lisboa) onde são realizadas as necessárias inspecções dos vegetais e produtos vegetais com vista a impedir a entrada de organismos de quarentena em Portugal e no espaço da União Europeia.

A inspecção fitossanitária compreende o controlo documental, que inclui a verificação dos certificados fitossanitários emitidos pelas autoridades fitossanitárias dos países terceiros, o controlo de identidade, e o controlo físico, que poderá implicar a colheita de amostras para análise laboratorial, refere fonte institucional daquela Direcção.

Despiste de pragas

As inspecções fitossanitárias em frutos de citrinos compreendem o despiste de várias pragas e doenças de quarentena como sejam as bactérias Xanthomonas citri pv. citri e Xanthomonas citri pv. aurantifolii; os fungos Cercospora angolensis Carv. et Mendes e Phyllosticta citricarpa (McAlpine) Van der Aa, anteriormente classificado como Guignardia citricarpa Kiely; e os insetos da família Tephritidae (não europeus) e da espécie Thaumatotibia leucotreta (Meyrick).

Importadas 25.877 toneladas

Em 2017 foram importados frutos de citrinos de países terceiros, maioritariamente via porto de Lisboa, mas também via aeroporto de Lisboa, num total de 25.877 toneladas.

Os países de origem foram, por ordem alfabética: África do Sul, Argentina; Brasil; Chile; Colômbia, Peru, Uruguai e Zimbabué, sendo que mais de metade da quantidade importada é originária da África do Sul.

Entre as principais espécies de citrinos importadas estão Citrus sinensis (laranja), Citrus paradisi (toranja), Citrus recticulata (tangerina e clementina), Citrus limon (limão e lima) e Citrus limetta (limão doce).

Ocorreram 5 intercepções de citrinos devido à presença de pedúnculos tendo sido aplicada a medida fitossanitária de destruição, sob inspecção oficial, da totalidade da remessa ou dos pedúnculos após a sua remoção manual em cada fruto.

Regras

Realça a DRAP LVT que os frutos de citrinos não podem entrar no espaço da união europeia com pedúnculos ou folhas em cumprimento das exigências legais de restrição do risco associado à introdução e dispersão de pragas e doenças de quarentena, sendo que a importação de países terceiros de vegetais para plantação ou partes de vegetais é proibida.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

Ministra da Agricultura está “convicta”: acordo para a nova PAC será conseguido no Conselho de Ministros de 28 e 29 de Junho

Partilhar              “Acredito que, no quadro da negociação, vamos encontrar um ponto de equilíbrio entre os dois …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.