Início / Mar / Ambiente / DGRM: “não foi tomada qualquer decisão” sobre dragagens no Rio Sado

DGRM: “não foi tomada qualquer decisão” sobre dragagens no Rio Sado

A DGRM — Direcção Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos informa que “não foi tomada qualquer decisão sobre nenhum TUPEM (título de utilização privativa de espaço marítimo) relativo a dragagens no Rio Sado” e desmente as notícias divulgadas sobre esta matéria.

A DGRM reforça que “todas as notícias vindas a público nesse sentido são completamente falsas”.

Deposito de 6,5 milhões de metros cúbicos de areia do Sado

Na sexta-feira, a RTP anunciou que “foi chumbado o pedido do Porto de Setúbal para depositar seis milhões e 500 mil metros cúbicos de areia do Sado no fundo do estuário. O projecto faz parte das obras de requalificação do porto marítimo que tem vindo a ser alvo de contestação”.

Relembre-se que já no dia 6 de Novembro a APSS — Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra realizou uma sessão de esclarecimento relativa ao projecto de “Melhoria das Acessibilidades Marítimas ao Porto de Setúbal” em que participaram 200 pessoas, na qual foi possível esclarecer um conjunto de questões que “vinham sendo objecto de informação insuficiente e incorrecta”.

A Direcção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos, tem como missão o desenvolvimento da segurança e dos serviços marítimos, incluindo o sector marítimo-portuário, a execução das políticas de pesca, da aquicultura, da indústria transformadora e actividades conexas, a preservação e conhecimento dos recursos marinhos, bem como garantir a regulamentação e o controlo das actividades desenvolvidas nestes âmbitos.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Viana do Castelo recebe comemorações oficiais do Dia da Polícia Marítima

Partilhar              A cidade de Viana do Castelo vai acolher, no próximo mês de Outubro, as Comemorações …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.