Início / Agricultura / DGAV dá autorização excepcional de emergência para insecticidas no controlo do percevejo-das-gramíneas

DGAV dá autorização excepcional de emergência para insecticidas no controlo do percevejo-das-gramíneas

A DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária alerta que foi confirmada a presença do insecto Blissus insularis — também conhecido por percevejo-das-gramíneas ou percevejo-do-sul — em vários locais no território nacional. Este insecto, afecta plantas gramíneas, nomeadamente as espécies constituintes dos relvados causando estragos importantes.

A presença deste inimigo foi detectada numa primeira fase na região de Lisboa e Vale do Tejo, contudo foi constatado que já se encontra presente noutras regiões, caso do Alentejo e Algarve.

Neste sentido, a DGAV emitiu uma autorização excepcional de emergência para utilização de produtos fitofarmacêuticos, insecticidas, com base em óleo de laranja, spinosade, deltametrina, cipermetrina e acetamiprida, por um período de 120 dias para o controlo de Blissus insularis, em relvados, para utilizadores profissionais e também uso não profissional.

Explica a Autorização Excepcional de Emergência N.º 2023/01 que o Blissus insularis é um pequeno insecto, de cerca de 4mm apenas, oriundo dos estados do sul dos EUA. Pertencendo à ordem Hemiptera. É um inseto picador sugador, alimenta-se da seiva, nos caules das plantas gramíneas, nomeadamente as espécies constituintes dos relvados em espaços verdes públicos e em habitações particulares.

E salienta que os estragos/prejuízos são causados quer pelos adultos quer pelas formas juvenis, através da sucção da seiva, mas também devido ao grande número que rapidamente atingem levando à destruição dos relvados, que ficam cloróticos e acabam por secar.

“Uma fertilização inadequada e que origine vigor excessivo do relvado e irrigação abundante dos relvados são favoráveis à manutenção das populações de B. insularis a níveis elevados pelo que devem ser evitadas sendo que o recurso a produtos fitofarmacêuticos nessa circunstância é inevitável”, adianta aquela Autorização Excepcional de Emergência.

Por outro lado, refere a DGAV que “não existe na actualidade nenhum produto fitofarmacêutico autorizado para controlo deste inimigo em relvados. Contudo, é antecipado que produtos fitofarmacêuticos autorizados para controlo de outras espécies, com algumas semelhanças, serão igualmente eficazes para controlo desta espécie sendo, portanto, pertinente e oportuna a sua utilização na(s) área(s) afectada(s), desde que salvaguardada a segurança para a saúde humana e para o ambiente”.

Pode a Autorização Excepcional de Emergência N.º 2023/01 e conhecer os produtos fitofarmacêuticos autorizados aqui.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

PSD/Açores: Orçamento para 2024 demonstra estratégia para o sector das pescas

Partilhar              O deputado regional do PSD/Açores Jaime Vieira salientou quarta-feira que o Plano e Orçamento para …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.