Início / Agricultura / DGAV alerta passageiros provenientes das Ilhas Baleares para os perigos da Xylella fastidiosa
Sintomas de declínio rápido da oliveira observados em Puglia, Itália. Foto: EPPO

DGAV alerta passageiros provenientes das Ilhas Baleares para os perigos da Xylella fastidiosa

A DGAV – Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária lançou esta semana um novo alerta lembrando que “é proibido ser portador de plantas de qualquer espécie susceptível proveniente das ilhas Baleares”. Em Fevereiro, aquela Direcção, depois da identificação de novos focos de Xylella fastidiosa em Espanha, nas ilhas Baleares, emitiu o Ofício Circular n.º 04/2017.

A Xylella fastidiosa é uma bactéria que ataca uma vasta gama de espécies vegetais, constituindo um dos principais problemas fitossanitários emergentes das últimas décadas.

Por muito tempo permaneceu confinada ao continente americano, causando surtos graves da doença. Foi assinalada na Europa pela primeira vez em 2013 no sul de Itália – Apúlia, onde devastou uma extensa área de olival.

Em 2015, foram detectados focos no sul de França e na Córsega e nos últimos meses na Alemanha e mais recentemente nas Ilhas Baleares.

As autoridades fitossanitárias espanholas determinaram a proibição da saída destas ilhas, de plantas das espécies susceptíveis (Orden APM/21/2017, de 20 de Janeiro).

Ver também:

55% dos casos de Xylella confirmados nas Baleares afectam amendoeiras e oliveiras

Xylella fastidiosa: plantas provenientes das ilhas Baleares proibidas em Portugal

DGAV pede vigilância contra Xylella fastidiosa e lança poster sobre plantas hospedeiras

DGAV divulga plano para resposta rápida à Xylella fastidiosa

Xylella fastidiosa, o que é, como prevenir?

Agricultura e Mar Actual

 

 
       
   
 

Verifique também

ASAE apreende mais de 4 toneladas de polvo em entreposto frigorífico em Coimbra

Partilhar              A ASAE — Autoridade de Segurança Alimentar e Económica apreendeu mais de 4 toneladas de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.