Início / Agricultura / DGAV actualizou zona demarcada para Epitrix da batateira, que chegou a Lamego

DGAV actualizou zona demarcada para Epitrix da batateira, que chegou a Lamego

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A DGAV – Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária informa que foi realizada a actualização da zona demarcada para Epitrix da batateira no território continental português. Esta actualização tem implicações imediatas nos movimentos de batata para fora da nova zona demarcada com destino a zonas isentas do insecto, aplicando-se as medidas de emergência fitossanitárias legalmente em vigor.

Diz a DGAV que, atendendo aos resultados do corrente ano já disponíveis, verificou-se a presença das espécies Epitrix cucumeris e E. papa num novo concelho, Lamego, contíguo à actual zona demarcada.

“Em consequência da obrigatória demarcação do concelho de Lamego, chama-se a atenção para os requisitos que se colocam a partir de agora à circulação de batata aí produzida com destino a áreas isentas, em Portugal ou em outros Estados-membros da União Europeia”, realça o Ofício.

Pode ver a lista actualizada aqui. A actualização foi divulgada através do Ofício Circular Nº 26/2017.

A praga

O Epitrix similaris é um pequeno coleóptero crisomelídeo pertencente à família das álticas ou “pulguinhas”, cujas larvas causam estragos nos tubérculos contribuindo para a desvalorização comercial da batata.

É uma espécie exótica de origem norte americana tendo sido identificada pela primeira vez em Portugal em 2008. Outra espécie também identificada foi Epitrix cucumeris a qual apresenta uma morfologia e biologia muito semelhante à espécie anteriormente referida, mas cujos estragos nos tubérculos não são conhecidos.

Na sequência da detecção de Epitrix similaris e Epitrix cucumeris na cultura da batateira em Portugal e com vista a impedir a sua dispersão a zonas da comunidade europeia livres deste organismo através do comércio de batata (consumo ou semente), foi aprovada a Decisão da Comissão 2012/270/UE de 16 de maio sobre medidas de emergência para controlo de Epitrix sp.

Esta praga, dado o seu ciclo biológico, pode ser disseminada essencialmente através de terra aderente aos tubérculos, pelo que as medidas estabelecidas na decisão para expedição para fora de zonas demarcadas, isto é, para zonas livres do insecto, incidem particularmente na exigência de lavagem, escovagem ou método equivalente que conduza à remoção de terra, cuja tolerância é de 0,1%.

Por forma a controlar a praga no território nacional torna-se ainda necessário aplicar medidas de contenção e/ou erradicação, as quais incluem prospecção e tratamento com produtos fitofarmacêuticos autorizados.

Pode obter mais informações sobre o Epitrix da Batateira e respectivos documentos aqui.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Associação de Proprietários Rurais contra “intenção de acabar com os cercados de caça maior”

Partilhar            A Associação Nacional de Proprietários Rurais Gestão Cinegética e Biodiversidade (ANPC) está preocupada com algumas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.