Início / Agricultura / Cotações – Frutos Frescos – Informação Semanal – 1 a 7 Junho 2020

Cotações – Frutos Frescos – Informação Semanal – 1 a 7 Junho 2020

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas

Mercados de produção

Abacate – No Algarve, a oferta de abacate das variedades “Tipo Hass e Tipo Reed”, foi suficiente para a procura baixa. Escoamento regular. Cotações estáveis. Produto de boa qualidade e bem acondicionado em caixas.

Ameixa – No Algarve, iniciou-se a campanha de produção e comercialização da ameixa “Red beaut”, com a oferta e a procura ainda baixas. Escoamento fraco. Fruto com razoável qualidade.

Amora – No Alentejo, na área de mercado Odemira, a produção está em pleno mas com alguns problemas de qualidade. As cotações não se alteraram (valores estimados). A procura externa esteve forte porque não há concorrência de amora de outros países.

Cereja

Cereja – Na Região Norte, na área de mercado Resende, a oferta foi média, de boa qualidade e a procura média/alta. Escoamento sem dificuldades. Descida das cotações para o calibre mais baixo pois a oferta foi maior.

Na área de mercado Alfândega da Fé, o volume de transacções de cereja foram superiores relativamente à semana anterior. A campanha de produção encontra-se na situação de pleno. A oferta, média, não foi suficiente para procura média/alta. Cotações sem alterações. Não houve dificuldades de escoamento e este efectuou-se através das grandes superfícies locais e por agentes económicos dos grandes centros consumidores do litoral que se deslocam directamente aos produtores para a realização das transacções.

Na Região Centro, na área de mercado Cova da Beira, o vento forte e a grande quantidade de pluviosidade (alguns lugares sobre a forma de granizo), que ocorreu na tarde do passado domingo (31 de Maio) por toda a região, destruiu muita cereja. A oferta continuou a ser quase nula em relação ao habitual nesta altura. Alguma produção de melhor qualidade foi toda comercializada sem dificuldades, porque a procura esteve muito alta. Oscilações nas cotações.

No Alentejo, na área de mercado Portalegre, a oferta foi baixa. De acordo com a informação da produção a cereja está muito estragada.

Damasco – No Algarve, a oferta e a procura continuaram baixas. Escoamento fraco. Cotações estáveis.

Figo – No Algarve, a oferta de figo “Lampo Branco e “Lampo Preto”, foi inferior à procura média. Escoamento regular. Produto de qualidade média. Descida da cotação mais frequente (14%) para as duas variedades.

Framboesa

Framboesa -Na Região Centro na área de mercado Beira Litoral, a produção deste produto está no máximo. A procura esteve animada e o escoamento efectuou-se sem dificuldades. Nesta estação fruteira há falta de produto para a procura existente.

Na Região Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, manteve-se a concorrência de produto de Espanha e de Marrocos mas as cotações mantiveram-se estáveis. Boa qualidade do produto. Oferta alta e procura média.

No Alentejo, na área de mercado, Odemira, a produção está no auge. A procura também este alta. Com a quebra de produção de produto marroquino, a framboesa nacional está valorizada . Cotações estabilizadas (valores estimados). Excelente qualidade.

No Algarve, a oferta de framboesa, categoria I (produto para exportação), tem aumentado e a procura externa esteve boa. Concorrência de produto espanhol e marroquino. Subida das cotações. Bom escoamento. A procura nacional continuou baixa e escoamento foi fraco devido ao pouco consumo no mercado nacional. Cotações estáveis.

Kiwi – Na Região Norte, na área de mercado Grande Porto, a procura manteve-se alta e a oferta média. Escoamento sem dificuldades. Cotações estáveis.

Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, terminou a campanha de comercialização deste produto.

Laranja – No Algarve, a oferta de laranja “Valencia Late” foi suficiente para a procura média. Subida da cotação mínima e máxima da laranja de calibre 1, 2 e 3 e da cotação máxima do calibre 4, 5 e 6. Escoamento regular.

Limão

Limão – Na Região Centro, na área de mercado, Montes da Senhora, as cotações não se alteraram. Aumento das transacções quer pelos produtores, quer por parte dos intermediários (uns para exportar para França e outros para escoar na região). A oferta do produto foi abundante para uma procura forte. Prevê-se que a procura aumente devido à melhoria das condições climatéricas e ao desconfinamento gradual do estado de calamidade da pandemia com a reabertura de esplanadas e restaurantes.

No Algarve, a oferta foi média e a procura tem aumentado. Maior consumo com a abertura de esplanadas e alguns restaurantes. O escoamento efectuou-se sem dificuldades. Subida das cotações. Boa qualidade do produto.

Maçã

Maçã – Na Região Norte, na área de mercado Carrazeda de Ansiães, o volume de transacções foi inferior à semana anterior, em cerca de 25% em todas as variedades de maçã, porque a oferta e a procura diminuíram para baixas. Cotações estáveis. Nas Grandes Superfícies realizaram-se promoções de maçã embalada em sacos de plástico de 1 a 2 kg com calibres inferiores. Escoamento sem dificuldades porque a maçã apresentou boa qualidade.

Na área de mercado, Douro Sul, registou-se um aumento do volume de vendas em relação à semana anterior. A oferta foi média/alta e a procura alta. A maçã da região desta campanha, apresenta excelente qualidade e melhor calibre. Exportação de maçã para vários países. Promoção de maçã da região em algumas grandes superfícies. Aumento de consumo de maçã no mercado tradicional (mercearias e supermercados) em relação às grandes superfícies.

Os mercados municipais reabriram e estão a entrar na normalidade respeitando as novas regras de segurança. Presença de maçã estrangeira nas grandes superfícies. A cotação mais elevada de outros frutos, como a cereja e laranja, leva a que o consumidor opte pelo consumo de maçã com cotações mais baixas.

Na Região Centro, na área de mercado Viseu, a oferta foi média e a procura alta. Cotações estáveis. Boa qualidade.

Na área de mercado Leiria, a oferta continuou média/alta e de boa qualidade. A procura esteve média. Os calibres mais pequenos têm menor procura pois as escolas eram os consumidores preferenciais. Cotações sem alterações.

Melancia – No Algarve, iniciou-se a campanha de produção e comercialização da melancia “Sugar baby”, com a oferta e a procura baixas. Produto com tamanho pequeno, de qualidade média e comercializado em sacos. Escoamento fraco. Grande concorrência de produto espanhol.

Meloa – No Algarve, a oferta de meloa “Gália” foi suficiente para a procura média. Descida ligeira da cotação máxima (0,10€/kg) Escoamento regular. Qualidade média.

Mirtilo – Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, iniciou-se a campanha de produção e comercialização, com a oferta alta e a procura também. As cotações têm sido mantidas em níveis elevados, graças à forte procura do mercado nacional e europeu.

Na área de mercado Beira Interior, a oferta aumentou e foi de boa qualidade. Procura média. Grande parte da produção foi escoada para o mercado interno. Comercialização do produto em cuvetes e em caixas. Destruição de 30% da produção nas variedades precoces.

No Alentejo, na área de mercado Odemira, a produção mirtilo ainda é fraca. Produto para exportação. Pequenas oscilações nas cotações.

Morango

Morango – Na Região Norte, na área de mercado, Macedo de cavaleiros, o volume de transacções foi ligeiramente inferior à da semana anterior porque a oferta e a procura diminuíram. A campanha de produção na zona de produção da Terra Quente entrou na situação de declínio devido às altas temperaturas. Cotações estáveis. A comercialização deste produto está a ser efectuada nas grandes superfícies e algum produto directamente pelos consumidores nos locais da produção. Escoamento sem dificuldades. porque a oferta foi inferior à procura.

Na Região Centro, na área de mercado Litoral Centro, a oferta de morango “ar livre” duplicou (forte) em relação à semana anterior, devido às temperaturas amenas. Qualidade média pois o produto estava muito amadurecido.

Muitos produtores não conseguem apanhar todo o produto, outros não conseguem escoar e ainda outros estão a exportar para Espanha. A procura esteve regular a ligeiramente baixa, mas normal para esta época. As cotações mantiveram-se estáveis.

Na Região de Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta tem aumentado e a procura manteve-se boa. Descida da cotação máxima e da mais frequente (14%) do morango grado e da cotação mínima e da mais frequente (25%) do morango pequeno.

Na área de mercado Oeste, a pluviosidade provocou um decréscimo na produção. A procura esteve normal. As cotações do morango médio comercializado em cuvetes valorizaram 18% na cotação mais frequente e 2% no comercializado em caixas.

No Alentejo, na área de mercado Odemira, as cotações mantiveram-se estáveis. A oferta continuou equilibrada com a procura média.

Nectarina – No Algarve a oferta e a procura ainda foram baixas. Escoamento “aos poucos”. Cotações estáveis.

Nêspera – No Algarve, a oferta e a procura mantiveram-se equilibradas e baixas. Escoamento fraco. Descida das cotações.

Pêra – Na Região Centro, na área de mercado Leiria, terminou a campanha de comercialização da pêra. Na Região de Lisboa e Vale do Tejo, na área de mercado Oeste, a oferta vai-se ajustando à procura. Oscilações nas cotações.

Pêssego – Na Região Norte, na área de mercado Vilariça, iniciou-se a campanha de produção e comercialização, com um volume de transacções ainda pouco significativo porque a oferta e a procura ainda foram baixas. Não se verificam dificuldades no escoamento através dos mesmos circuitos comerciais do ano anterior, principalmente para as grandes superfícies. O valor das cotações em todos os calibres foi idêntico ao ano anterior.

No Algarve, a oferta aumentou e foi suficiente para a procura média. Escoamento regular. Cotações estáveis. Produto da zona de Tavira.

Tangerina – No Algarve, a oferta de tangerina “Encore” foi suficiente para a procura média/baixa. Escoamento fraco. Cotações estáveis.

Mercados abastecedores

Nos Mercados Abastecedores a oferta de frutos foi alta. A procura melhorou mas ainda não conseguiu escoar a maioria dos produtos em comercialização. A ameixa, banana, cereja, citrinos, figo, maçã, morango, meloa e nectarina/pêssego foram os produtos mais procurados.

Quanto aos produtos importados, verificou-se a presença de ananás, banana, damasco, lima, manga, meloa, melão, morango, nectarina/pêssego, papaia e uva. Como novidade apareceu a ameixa vermelha e melancia da variedade “Crimsonsweet” de Espanha, kiwi da Nova Zelândia e pera “Packam’s Triumph” da África do Sul.

Abacate – Oferta pouco expressiva de abacate das variedades “Hass” e “Reed” de origem nacional (Algarve). Procura média. Oscilações das cotações.

Ameixa – Aumento da oferta de ameixa da variedade “Red Beaut” de origem nacional . Presença de ameixa vermelha, proveniente de Espanha. Procura normal. Descida das cotações.

Ananás – Oferta suficiente de ananás oriundo da Costa Rica, de diversas imagens de marca e categorias. Boa procura. Descida das cotações.

Banana – Oferta significativa de banana “dólar”, de diversas origens e imagens de marca, acondicionada em caixas com 18 kg e reduzida para a banana da Madeira. Boa procura. Manutenção das cotações.

Cereja – Menor oferta de cereja de origem nacional. Frutos de boa e razoável qualidade. Presença pouco expressiva de cereja proveniente de Espanha. Boa procura. Subida das cotações.

Damasco – Oferta pouco expressiva de damasco nacional. Presença acentuada de damasco, proveniente de Espanha. Frutos com boa apresentação, na sua maioria de calibre grado, acondicionado em caixas de 8/10 kg. Boa procura. Descida das cotações.

Figo – Aumento da oferta de figo da variedade “Lampo Preto” de origem nacional. Frutos com boa apresentação, acondicionados em tabuleiro com 4/5 kg. Boa procura. Descida gradual das cotações.

Kiwi – Menor oferta de kiwi (Hayward) de origem nacional. Boa qualidade dos frutos e com diversos calibres. Presença de kiwi da Nova Zelândia. Procura média. Manutenção das cotações.

Laranja – Oferta suficiente de laranja de origem nacional (Algarve), das variedades: “Rohdes” e “Valência Late”. Boa procura, essencialmente para os calibres médios/pequenos. Manutenção das cotações.

Lima – Oferta suficiente de lima proveniente do Brasil (avião). Frutos embalados em caixa de cartão de 4 kg, com diferentes imagens de marca. Procura normal. Descida das cotações.

Limão – Oferta suficiente de limão de origem nacional. Procura normal. Manutenção das cotações. Presença de limão proveniente de Espanha.

Maçã – Oferta suficiente de maçã de origem nacional das variedades: Golden Delicious”, “Granny Smith”, “Red Delicious”, “Royal Gala” e “Reineta Parda”. Procura normal, a não escoar todo o produto em comercialização. Manutenção das cotações.

Manga – Menor oferta de manga do Brasil (avião/barco). Frutos com boa apresentação, de diversas variedades, acondicionados em tabuleiro. Boa procura. Manutenção das cotações.

Melão/Meloa – Oferta reduzida de meloa de origem nacional (Algarve). Oferta de melão das variedades “Branco Espanhol” e “Pele de Sapo” de Espanha e meloa “Gália” de Espanha e Marrocos. Boa procura. Subida das cotações da meloa.

Morango – Oferta suficiente de morango de origem nacional. Boa procura. Descida das cotações.

Nectarina/Pêssego – Oferta suficiente de nectarina/pêssego de origem nacional. Frutos com boa apresentação, de calibres “A” e “B”. Presença do mesmo produto proveniente de Espanha. Boa procura. Manutenção das cotações.

Nêspera – Oferta suficiente de nêspera, proveniente de Espanha. Produto de boa qualidade de calibre ”GG”. Boa procura. Manutenção das cotações.

Tangerina – Menor oferta de tangerina de origem nacional (Algarve) da variedade: “Encore”. Frutos de calibres (X e XXX) de boa e razoável qualidade, acondicionados em caixas de 10/12 kg. Boa procura. Manutenção das cotações.

Papaia – Oferta reduzida de papaia do Brasil. Frutos com boa apresentação, acondicionados em tabuleiro. Boa  procura. Manutenção das cotações.

Pêra – Oferta suficiente de pera da variedade “Rocha”. Frutos com diversos calibres, acondicionados em caixa (10/12 kg). Procura média. Manutenção das cotações. Presença de pera “Packam’s Triumph”, proveniente da África do Sul.

Uva – Oferta de uva das variedades “branca” e “rosada” , proveniente do Chile. Procura média. Subida das cotações da variedade “branca”.

Todas as cotações aqui.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Associação de Bebidas Espirituosas defende fim da proibição de venda de bebidas alcoólicas a partir das 20h00

Partilhar            A Anebe – Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas diz continuar “empenhada em contribuir …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.