Início / Agricultura / Cotações – Bovinos – Informação Semanal – 30 Novembro a 6 Dezembro 2020

Cotações – Bovinos – Informação Semanal – 30 Novembro a 6 Dezembro 2020

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas

As cotações médias nacionais, mais frequentes, de novilhas e de novilhos, 12 a 24 meses, não se alteraram.

Na região Trás-os-Montes, nas áreas de mercado Terra Fria e Alto Tâmega a oferta foi média/alta e a procura média/baixa. Fraco volume de negócios. Alguma dificuldade no escoamento de produtos, devido ao baixo consumo. Continuou a não se verificar qualquer influência de trocas comerciais com outros países no funcionamento do mercado. Nesta região as cotações não se alteraram.

Entre Douro e Minho

Na região Entre Douro e Minho nas áreas de mercado Entre Douro e Minho Regional, Entre Douro e Minho e Ribadouro a oferta e a procura foram médias. Escoamento lento devido ao baixo consumo. Continuou a existir concorrência de produto importado, sobretudo, de Espanha a preços inferiores. As vacas de abate refugo continuaram a ser exportadas para Espanha. Houve manutenção de cotações em todas as áreas de mercado.

Beira Litoral

Na região Beira Litoral a oferta foi média/baixa e a procura foi baixa. A oferta de novilhos para abate manteve-se superior à procura. Havia animais de grande porte, que os comerciantes preferiam não adquirir, porque queriam carcaças pequenas.

O consumo nos grandes centros estava baixo, normal para a época, mas nos centros pequenos foi superior. Devido ao estado de emergência os consumidores estando mais tempo no domicílio elaboravam mais as próprias refeições e por isso compravam mais.

No geral, constatou-se que a procura estava idêntica à semana anterior, mas melhor do que no mesmo período do ano anterior. Em relação aos animais de criar havia alguma falta e os preços continuaram altos. As cotações mantiveram os valores da semana anterior nas três áreas de mercado.

Beira Interior

Na região Beira Interior nas áreas de mercado Beira Interior Regional, Castelo Branco e Guarda a oferta e a procura foram médias.

Na área de mercado Castelo Branco os produtores que vendiam para os restaurantes continuaram a vender apesar das novas restrições impostas pelo novo estado de emergência. Os produtores que tinham contrato com as Grandes Superfícies continuaram a entregar as peças contratualizadas.

Na área de mercado Guarda as compras e importação de Espanha continuaram a ter uma forte influência na cotação de bovinos na Região. Manutenção de todas as cotações dos diferentes produtos de origem bovina em todas as áreas de mercado.

Ribatejo e Oeste

Na região Ribatejo e Oeste, nas áreas de mercado Ribatejo Oeste Regional e Ribatejo a oferta e a procura foram médias. Equilíbrio da relação oferta/procura. Não houve alteração de cotações nas áreas de mercado.

Alentejo

Na região Alentejo nas áreas de mercado Évora e Estremoz a oferta foi média/alta e a procura foi média/baixa. Nas áreas de mercado Alentejo Norte e Beja a oferta foi média e a procura foi média/baixa. Na área de mercado Elvas a oferta foi média e a procura foi baixa. Na área de mercado Alentejo Litoral a oferta e a procura foram médias.

Na área de mercado Alentejo Litoral as cotações, mínima, máxima e mais frequente de novilha e de novilho 12 a 24 meses cruzados Charolês, aumentaram 0,05 €/kg Peso Carcaça, já na área de mercado Estremoz as cotações mais frequentes de ambos aumentaram 0,10 €/kg Peso Carcaça e a cotação mínima de novilho aumentou 0,05 €/kg Peso Carcaça.

Relativamente à vitela e vitelo 6 a 8 meses cruzados Charolês: nas áreas de mercado Beja e Estremoz, as cotações mais frequentes de ambos, aumentaram 0,05 e 0,15 €/kg Peso Vivo, respectivamente; na área de mercado Estremoz, as cotações, mínima e máxima, de vitela aumentaram 0,20 e 0,15 €/kg Peso Vivo, respectivamente e a cotação máxima de vitelo aumentou 0,10 €/kg Peso Vivo; na área de mercado Évora as cotações, mínima, máxima e mais frequente de vitela, aumentaram, 0,15, 0,05 e 0,15 €/kg Peso Vivo, respectivamente, e as cotações, máxima e mais frequente de vitelo, subiram 0,05 €/kg Peso Vivo; na área de mercado Alentejo Regional as cotações, mínima e mais frequente, de vitelo, subiram 0,05 €/kg Peso Vivo.

Na área de mercado Estremoz, as cotações, máxima e mais frequente, de vitelão fêmea 8 a 12 meses cruzado Charolês subiram, 25 e 20 €/Unidade, respectivamente, mas, as cotações, mínima e máxima, de vitelão macho, subiram, 20 e 25 €/Unidade, respectivamente.

Excepto as referidas, houve manutenção de todas as outras cotações em todas as áreas de mercado.

A tendência da Bolsa de Bovino-Montijo foi de manutenção de cotações de vacas e de vitelas e as cotações de novilhos e de novilhas, subiram, 0,03 e 0,02 €/kg Peso Carcaça, respectivamente.

Todas as cotações aqui.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 more

Verifique também

Italiano Mirko Giannella vence final do Concurso Internacional de Corte de Presunto Ibérico

Partilhar             more  O italiano Mirko Giannella foi o vencedor da final do Concurso Internacional de Corte …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.