Início / Agricultura / Cotações – Bovinos – Informação Semanal – 10 a 16 Janeiro 2022

Cotações – Bovinos – Informação Semanal – 10 a 16 Janeiro 2022

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas

As cotações médias, de novilha e de novilho, 12 a 24 meses, cruzados Charolês, aumentaram, 0,133 e 0,100 €/kg Carcaça, respectivamente. As cotações médias, de novilha e de novilho, 12 a 24 meses, Turina, aumentaram, 0,050 e 0,025 €/kg Carcaça, respectivamente.

Região Trás-os-Montes

Nas áreas de mercado, Terra Fria e Alto Tâmega, a oferta foi média/alta e a procura foi média/baixa. Não se tem verificado qualquer influência das trocas comerciais com outros países no funcionamento do mercado, limitando-se estas só a pequenos negócios na região. Fraco volume de negócios. Alguma dificuldade no escoamento de bovinos As cotações na região não se alteraram.

Região Entre Douro e Minho

Nas áreas de mercado Entre Douro e Minho Regional, Entre Douro e Minho e Ribadouro a oferta e a procura foram médias. Não houve dificuldade no escoamento. Manutenção de todas as cotações na região.

Região Beira Litoral

No mercado regional a oferta foi quase nula tal como a procura. A procura de animais de abate continuou em baixa. A oferta continuou escassa, e os operadores deslocaram-se a outras regiões para se abastecerem. Os preços quer de animais para criar, quer de animais de abate mantiveram-se altos, o que dificultou a aquisição por parte de pequenos produtores.

Na área de mercado Coimbra, as cotações, mínimas e mais frequentes, de novilha e novilho, 12 a 24 meses, cruzados Charolês, aumentaram, 0,10 e 0,10 €/kg Carcaça, respectivamente.

Na área de mercado Viseu, as cotações, mínima e máxima, de novilha, 12 a 24 meses, cruzada Charolês, aumentaram, 0,15 €/kg Carcaça, mas a cotação mais frequente aumentou 0,20 €/kg Carcaça. As cotações, mínima e mais frequente, do novilho desta raça, aumentaram 0,20 €/kg Carcaça.

Na área mercado Beira Litoral Regional, as cotações, mínima e mais frequente, de novilha cruzada Charolês, aumentaram, 0,20 €/kg Carcaça, mas a cotação máxima aumentou 0,15 €/kg Carcaça. As cotações, mínima e máxima, do novilho desta raça, aumentaram 0,10 €/kg Carcaça, mas a cotação mais frequente aumentou 0,20 €/kg Carcaça.

Na área de mercado Aveiro, as cotações, máxima e mais frequente, de novilho, 12 a 24 meses, Turina, aumentaram, 0,30 e 0,10 €/kg Carcaça, respectivamente, quanto à novilha, apenas a cotação mais frequente aumentou 0,20 €/kg Carcaça.

Na área de mercado Beira Litoral Regional, as cotações, mais frequentes, de novilha e de novilho, 12 a 24 meses, Turina, aumentaram, 0,20 e 0,10 €/kg Carcaça, respectivamente. Excepto as referidas, houve manutenção de todas as outras cotações.

Região Beira Interior

Nas áreas de mercado Beira Interior Regional, Guarda e Castelo Branco a oferta foi média/baixa e a procura foi média. As cotações dos diferentes produtos de origem bovina mantiveram-se constantes, em todas as áreas de mercado.

Região Ribatejo e Oeste

Nas áreas de mercado, Ribatejo e Ribatejo e Oeste Regional, a oferta foi média e a procura foi média/alta. Houve manutenção de todas as cotações em ambos os mercados

Região Alentejo

Nas áreas de mercado, Beja, Alentejo Norte e Elvas, a procura e a oferta foram médias. Na área de mercado, Évora, a oferta foi média e a procura foi alta. Na área de mercado, Alentejo Litoral, a oferta foi média e a procura foi média/alta. Na área de mercado, Estremoz a oferta foi média/alta e a procura foi alta.

Na área de mercado, Alentejo Litoral, as cotações, mais frequentes de novilha e de novilho, 12 a 24 meses, cruzados Charolês, aumentaram 0,10 €/kg Carcaça.

Na área de mercado, Estremoz, as cotações, mínima, máxima e mais frequente, de novilha e de novilho, 12 a 24 meses cruzados Charolês, aumentaram, 0,15, 0,20 e 0,25 €/kg Carcaça, respectivamente.

Na área de mercado Évora, as cotações, mínima, máxima e mais frequente, de novilha e de novilho, 12 a 24 meses cruzados Charolês, aumentaram, 0,30, 0,05 e 0,20 €/kg Carcaça, respectivamente.

Na área de mercado Alentejo Regional, as cotações, máximas e mais frequentes, de novilha e de novilho, 12 a 24 meses, cruzados Charolês, aumentaram 0,05 e 0,20 €/kg Carcaça, respectivamente.

Nas áreas de mercado, Alentejo Regional e Évora, as cotações mais frequentes, de vaca, abate, cruzada Charolês, aumentaram, 0,20 €/kg Carcaça, mas na área de mercado Estremoz, as cotações, mínima e mais frequente, aumentaram, 0,10 €/kg Carcaça.

Na área de mercado Alentejo Litoral, as cotações, máxima e mínima, de vitela e de vitelo, 6 a 8 meses, cruzados Charolês, aumentaram, 0,30 €/kg Vivo, mas as cotações mais frequentes aumentaram 0,25 €/kg Vivo.

Na área de mercado, Beja, as cotações, mínima, máxima e mais frequente, de vitela, 6 a 8 meses, cruzada Charolês, aumentaram, 0,49, 0,37 e 0,35 €/kg Vivo, respectivamente, mas no caso do vitelo, aumentaram, 0,26, 0,75 e 0,30 €/kg Vivo, respectivamente.

Na área de mercado, Estremoz, as cotações, mínima, máxima e mais frequente, de vitela, 6 a 8 meses, cruzada Charolês, aumentaram, 0,40, 0,40 e 0,30 €/kg Vivo, respectivamente, mas no caso do vitelo, aumentaram, 0,10, 1,15 e 0,25 €/kg Vivo, respectivamente.

Na área de mercado, Évora as cotações, mínima, máxima e mais frequente, de vitela, 6 a 8 meses, cruzada Charolês, aumentaram, 0,56, 0,35 e 0,46 €/kg Vivo, respectivamente, mas no caso do vitelo, aumentaram, 0,10, 1,04 e 0,20 €/kg Vivo, respectivamente.

Na área de mercado Alentejo Regional, as cotações, máxima e mais frequente, de vitelo, 6 a 8 meses, cruzado Charolês, aumentaram, 0,84 e 0,20 €/kg Vivo, respectivamente.

Na área de mercado Alentejo Litoral, as cotações, mínima, máxima, de vitelão fêmea, 8 a 12 meses, cruzada Charolês, aumentaram 130,00 e 25,00 €/unidade, respectivamente, mas a cotação mínima diminuiu 30,00 €/unidade.

Relativamente ao vitelão macho, as cotações, mínima e máxima, aumentaram, 150,00 e 25,00 €/unidade, respectivamente, já a cotação mínima diminuiu 50,00 €/unidade.

Na área de mercado Estremoz, as cotações, mínima, máxima e mais frequente, de vitelão fêmea, 8 a 12 meses, cruzada Charolês, aumentaram 35,00, 260,00 e 125,00 €/unidade, respectivamente, já, no caso do vitelão macho, essas cotações, aumentaram, 55,00, 200,00 e 120,00 €/unidade, respectivamente.

Na área de mercado Évora, as cotações, mínima, máxima e mais frequente, de vitelão fêmea, 8 a 12 meses, cruzada Charolês, aumentaram 90,00, 253,00 e 125,00 €/unidade, respectivamente, mas, relativamente ao vitelão macho, essas cotações, aumentaram, 64,00, 180,00 e 180,00 €/unidade, respectivamente.

Na área de mercado Alentejo Regional, as cotações, máxima e mais frequente, de vitelão macho, 8 a 12 meses, cruzado Charolês, aumentaram, 160,00 e 190,00 €/unidade, respectivamente. Na região as restantes cotações não se alteraram.

Todas as cotações aqui.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

CAP analisa evolução do sector agrícola na última década em webinar gratuito

Partilhar              A CAP — Confederação dos Agricultores de Portugal realiza no próximo dia 27 de Maio, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.