Início / Agricultura / Corticeira Amorim apoia Pavilhão de Portugal na Bienal de Arquitectura de Veneza
Nelson d'Aires, Porto, 2013. Implosão da torre número quatro do bairro do Aleixo.

Corticeira Amorim apoia Pavilhão de Portugal na Bienal de Arquitectura de Veneza

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Corticeira Amorim, o maior grupo de transformação de cortiça do Mundo, apoia a representação portuguesa na Bienal de Arquitectura de Veneza. O projecto In Conflict (Em Confronto), proposta do colectivo portuense depA Architects, escolhido para liderar a curadoria do Pavilhão de Portugal (Palazzo Giustinian Lolin, da Fondazione Ugo e Olga Levi) na 17ª edição do certame italiano, conta na sua estrutura com o suporte de cerca de 100 metros lineares de aglomerado técnico de cortiça. A cortiça e a Corticeira Amorim regressam, assim, à cidade dos canais depois das bem-sucedidas passagens em 2013, 2017 e 2019.

In Conflict junta-se, então, a outros projectos anteriormente apoiados pela Corticeira Amorim que ao longo da última década têm permitido promover a cortiça num dos mais importantes palcos da criatividade mundial.

Recorde-se o cacilheiro “Trafaria Praia” de Joana de Vasconcelos (Bienal de Arte de 2013), os candeeiros “Curcubita” de Tiago Sá (Venice Design 2017), e o piso de cortiça da instalação “a seam, a surface, a hinge or a knot” de Leonor Antunes e a luminária “Inside a Forest Cloud” de Nacho Carbonell (Bienal de Arte de 2019). Um conjunto de intervenções artísticas que demonstram também a versatilidade da cortiça como elemento criativo, inovador, cultural e educativo.

Uma certeza sublinhada por Cristina Rios de Amorim, administradora da Corticeira Amorim, para quem “é uma honra colaborar em iniciativas desta relevância, notoriedade e visibilidade. De resto, é com indisfarçável agrado que verificamos a atracção cada vez mais acentuada de artistas, designers e arquitectos pela cortiça. Uma matéria-prima natural, renovável e sustentável, capaz de resolver os mais exigentes problemas, pronta a encontrar soluções para muitos dos desafios colocados ao mundo actual”.

A proposta In Conflict do coletivo depA Architects pretende, precisamente, responder directamente à questão “How will we live together?”. Através de uma exposição, de conversas e de debates, os depA procuram “pensar o papel da arquitectura enquanto disciplina artística, pública, política e ética”.

O projecto expositivo traz para primeiro plano um Portugal em processo de descolonização, recém democrático e empobrecido. Um país marcado pela destruição material, deslocação social e participação cívica. A partir deste cenário, são chamadas à discussão outras questões relacionadas com a problemática, “construindo-se um panorama alargado e transversal dos primeiros 45 anos de democracia nacional mediante o seu reflexo na arquitectura portuguesa”, criando um espaço onde todos possam imaginar, debater e projectar um futuro comum.

17ª Bienal de Arquitectura de Veneza

A presença da cortiça na 17ª Bienal de Arquitectura de Veneza, que abrirá portas no próximo sábado, dia 22 de Maio, prolongando-se até 21 de Novembro, far-se-á notar igualmente pela colecção SUBER Design. Uma iniciativa da Amorim Cork Italia que oferece desde 2019 uma segunda vida às rolhas de cortiça recicladas. Transformando-as num primeiro momento em pequenos grânulos que, depois de combinados com outros materiais, dão vida a novos objectos como sistemas de iluminação, mesas, bancos, porta guarda-chuvas ou cabides, etc. Desta vez, a criatividade do conceituado arquitecto transalpino Michele Lucchi resultou na produção de 16 bancos com um design distinto.

Denominado Etico, o programa de reciclagem de rolhas de cortiça da Amorim Cork Italia foi muito recentemente distinguido com o prémio BBS, da Biblioteca Bilancio Sociale, uma das mais importantes distinções italianas no âmbito da Responsabilidade Social Empresarial. A decorrer deste 2011, o ETICO envolve várias associações e instituições que, por sua vez, mobilizam cerca de mil voluntários e gerem mais de cinco mil pontos de recolha de rolhas por todo o território italiano. Nos últimos cinco anos foram recolhidas, em média, 100 toneladas de rolhas.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

Volume de capturas de pescado em Portugal aumenta 48,4% em Agosto de 2021

Partilhar               O volume de capturas de pescado em Portugal, em Agosto de 2021, aumentou 48,4% …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.