Início / Agricultura / Cooperativas: há falta de tractores à venda. Pedem alargamento dos prazos dos apoios do PDR 2020 à renovação das máquinas

Cooperativas: há falta de tractores à venda. Pedem alargamento dos prazos dos apoios do PDR 2020 à renovação das máquinas

Apesar da aprovação das candidaturas do PDR 2020 à renovação do parque de tractores, “não existe oferta destes equipamentos no mercado devido à ruptura de stocks que se está a generalizar um pouco por toda a Europa. Esta situação também está a gerar uma onda de insatisfação junto dos agricultores que têm as suas candidaturas aprovadas, mas com limitações de prazos a cumprir”, alerta a Confagri — Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas.

E, “numa altura em que não há forma de assegurar o aprovisionamento de novos tractores, seria indispensável aprovar o alargamento dos prazos deste concurso”, refere a Confederação em comunicado de imprensa.

Este foi um dos temas abordados na primeira reunião do Grupo de Acompanhamento e Avaliação das Condições de Abastecimento de Bens nos Sectores Agroalimentar e de Retalho, coordenado pelos ministros da Economia, das Infra-estruturas e da Agricultura, em que a Confagri participou ontem, 22 de Novembro.

Renovação do parque de tractores

Relembre-se que o PDR 2020 tem 15 milhões disponíveis para apoiar os agricultores a renovarem o seu parque de tractores. As candidaturas estão abertas até às 19 horas de 31 de Maio.

Os apoios são concedidos sob a forma de subsídio não reembolsável e assumem a modalidade de custos simplificados.

A tipologia de intervenção a apoiar respeita a investimentos nas explorações agrícolas para aquisição de tractores, utilizando custos simplificados com base em tabela normalizada de custos unitários publicada na OTE n.º 137/2021, cujo custo total elegível, apurado em sede de análise, seja superior ou igual a 1.000 euros e inferior ou igual a 50.000 euros.

Risco de escassez alimentar afastado

“Depois da polémica levantada pela hipótese de virem a escassear bens alimentares nos principais canais de distribuição, os membros do grupo concluíram que esse risco não está em cima da mesa”, revela o mesmo comunicado.

E acrescenta que “neste momento não se perspectivam rupturas no abastecimento agroalimentar, apesar de existirem outras situações emergentes, nomeadamente no que diz respeito à distribuição, uma vez que o sector dos transportes está a ser fortemente condicionado, não só pela falta de mão-de-obra, mas também pelo agravamento do custo dos combustíveis, questão que está longe de ser resolvida”.

Tesouraria dos agricultores esgotada

Realça ainda a Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas que os custos da energia, adubos, pesticidas, mão-de-obra e outros factores de produção “estão a esgotar a tesouraria dos agricultores, uma vez que estes não conseguem reflectir nos preços finais os agravamentos de custos com que estão a ser confrontados, o que está poderá levar ao abandono da actividade agrícola”.

Está prevista uma nova reunião deste Grupo de Acompanhamento dentro de quinze dias para reavaliar a situação.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 more

Verifique também

Produtores de leite da Póvoa de Varzim em risco de falência pedem para serem pagos ao preço mínimo de 38 cêntimos/litro

Partilhar             more  Caso não exista um aumento do preço do leite a breve prazo, toda a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.