Início / Agenda / Como identificar e propagar plantas locais

Como identificar e propagar plantas locais

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Com a chegada da Primavera a aproximar-se, a ecoaldeia de Janas e a associação Flor de Murta organizaram um curso para dotar os participantes de conhecimentos básicos sobre as plantas da flora portuguesa mais adequadas para utilizar na sua horta e jardim.

No sábado dia 19 Março, véspera do início da Primavera, a ecoaldeia recebe as fundadoras da Associação Flor de Murta com Sofia Raichande e Teresa Tavares, experientes em propagação de plantas mediterrânicas, para o curso “Plantas Autóctones e Mediterrânicas – a flora portuguesa na horta e jardim”. A oficina terá lugar das 9h30 às 18h.

Serão abordadas as principais técnicas de propagação e manutenção das plantas dando a conhecer algumas plantas da flora portuguesa e os benefícios da utilização de plantas adaptadas ao clima e solos.No final da oficina, os formandos deverão conseguir identificar algumas plantas da flora portuguesa, a sua distribuição geográfica, tipo de propagação, utilidades e modo de manutenção.

A oficina é dirigida a interessados em jardinagem e horticultura em modo de produção biológico, e a todos os que queiram aprender na prática os fundamentos da propagação de plantas de forma simples, integrada com conhecimentos sobre a flora e plantas autóctones e Portugal.

A Ecoaldeia de Janas é um colectivo de pessoas unidas com o objectivo de construir e viver um centro de educação não-formal para a sustentabilidade ligado aos ofícios tradicionais e manuais, aplicando e partilhando soluções práticas e inovadoras no sentido de uma maior resiliência à escala local e regional. Quer inspirar públicos de todas as idades e demonstrar soluções que possam ser replicadas de forma simples, prática e sustentável à escala local (faz-por-ti-mesmo). O objectivo é partilhar a sabedoria tradicional e ao mesmo tempo inovadoras nas dimensões ecológica, cultural e sócio-económica.

Sofia Alegy Raichande é arquiteta paisagista e Teresa Tavares é silvicultora. Em 2010 fundaram a Flor de Murta, uma associação sem fins lucrativos, que tem como finalidade dar a conhecer a flora portuguesa, a sua biodiversidade, e o uso de técnicas e processos sustentáveis de construção de espaços verdes. A Associação tem um viveiro onde são propagadas plantas em modo biológico, adaptadas às condições edafoclimáticas de Portugal, nomeadamente ao clima mediterrânico, ou a microclimas e ecossistemas locais. Desde 2010 têm desenvolvido diversas acções de formação e de sensibilização ambiental sobre os temas de identificação, propagação e manutenção de plantas ‪aromáticas‬ e medicinais.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

Agro.Ges: necessidades hídricas da cultura do abacate são inferiores às da nogueira, amendoal e dióspiro

Partilhar              A cultura do abacate na região do Algarve tem estado debaixo de fogo, com várias …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.