Início / Empresas / Como a vida do campo influencia o mundo do entretenimento

Como a vida do campo influencia o mundo do entretenimento

Para muitos a vida no campo é algo distante e nostálgico. Isto porque, a vida moderna levou muitas pessoas a abandonarem a sua terra natal para procurar, nas grandes cidades, uma melhor qualidade de vida.

No entanto, os anos de 2020 e 2021 trouxeram uma grande mudança na forma de trabalhar, muitos moradores de grandes cidades puderam fazer o caminho contrário e encontrar, no campo, um bom local para viver. Logo, a vida no interior nunca esteve totalmente afastada. Afinal, a natureza e os seus encantos são uma fonte rica de inspiração para pintores, autores, arquitectos, e, até mesmo, programadores de videojogos.

O mundo do entretenimento e a influência do campo

Pintura

Por exemplo, a relação das paisagens do campo com a arte já vem de há muito tempo. Grandes pintores, como Vincent Van Gogh, encontraram no campo a inspiração para as suas obras. O holandês tinha uma grande tendência para retratar a natureza nas suas obras. Apresenta uma vasta lista de pinturas clássicas baseadas em cenas campestres, por exemplo, as obras “Campo de Trigo com Corvos”, “Íris”, “Campo de trigo com ciprestes” e “Oliveiras”.

Muitos outros pintores também retrataram o campo nos seus quadros. Destacam-se as obras “Mont Sainte-Victoire”, de Paul Cézanne, uma pintura que reflecte a beleza do monte de mesmo nome, estimando-se que o artista terá pintado mais de 60 vezes a paisagem em diferentes horas do dia e com diferentes luzes. O pintor realista Andrew Wyeth retratou a vida campestre numa das suas obras mais famosas, “O Mundo de Cristina”, a vida de uma moradora de Cushing, Oklahoma, que sofrendo de uma doença degenerativa se recusava a utilizar cadeira de rodas e arrastava-se pelo campo até à sua casa.

Literatura

Por outro lado, a literatura é outro setor da cultura onde as histórias do campo servem de base para grandes êxitos literários. No que diz respeito à literatura nacional, o clássico “A Cidade e as Serras”, escrito por Eça de Queiroz, mostra o contraste entre uma grande cidade, Paris, e uma pacífica aldeia na serra de Salamanca. Mostrando como este contacto com a natureza e a vida simples pode ser vitalizador, como acontece com o personagem principal.

Na literatura internacional, um clássico que tem a vida campestre como fundo é “Orgulho e Preconceito”, escrito por Jane Austen. No livro, a autora mostra como os valores morais do ambiente rural geram um conflito geracional e como isso afecta a formação de carácter dos jovens que vivem nesse ambiente. O livro, lançado em 1813, continua a ser um sucesso, tornando-se inclusive num filme que teve 4 indicações ao Óscar.

Jogos digitais

Outro segmento do entretenimento que tem dado especial atenção à temática do campo são os jogos digitais. Longe dos mundos distópicos e futuristas, existe um mercado que clama por jogos que simulam a realidade. E um dos grandes sucessos é o “Farming Simulator”, traduzindo, “Simulador Agrícola”. A franquia teve início em 2008 e, recentemente, foi lançada a versão 2022 em plataformas de videogame como Steam. Como o próprio nome diz, o videojogo trata de simular o trabalho diário numa quinta, o jogador ocupa-se de todas as tarefas de um agricultor: cuidar dos animais, cortar a relva, semear, regar e, até mesmo, conduzir o tractor ao som de música “country. O jogo faz tanto sucesso que até já tem torneio oficial patrocinado.

Nos telemóveis a temática também conta com um grande número de adeptos. Os jogos que implicam a gestão — ainda que de forma bastante simplificada — de quintas são um sucesso. Um dos mais famosos é “Hay Day”, onde o jogador herda um pedaço de terra e tem como objectivo transformá-lo numa quinta rentável. Para isso, é necessário criar e cuidar dos animais e das plantações, o resultado das colheitas é vendido e com isso é possível aumentar o terreno e ter ainda mais actividades.

Outra opção é o “Farm Story 2”, onde a temática é muito similar ao primeiro e destaca-se pela quantidade de itens que podem ser produzidos e comercializados entre os jogadores. Os dois jogos são gratuitos e estão disponíveis para dispositivos Android e iOs.

Ainda no campo gaming, o campo não inspira só videojogos para consolas e telemóveis. Um bom exemplo são as tradicionais slots machines, conhecidas pelos seus símbolos mais clássicos como o número 7, frutas e cartas de baralho. Estas evoluíram e ganharam espaço em plataformas especializadas para oferecer temas diversos como samurais, vikings, Egipto antigo, e também muitas referências da vida no campo, como os jogos “Piggy Bank Farm” e “Crazy Veg”, que trazem aos jogadores a temática rural como plano de fundo dos jogos. A ideia do contacto com a natureza e a tranquilidade do campo são atractivos para os aficionados.

Com efeito, estes são então óptimos exemplos para ilustrar como o meio rural, que parece distante e desconectado das grandes cidades, segue vivo no imaginário popular de diversas formas, em especial, nas áreas da cultura e do entretenimento. A doce vida do campo atraiu grandes personalidades do passado e continua a encantar as gerações do presente.

 
       
   
 

Verifique também

Festa da Cereja Alfândega da Fé decorre até 12 de Junho

Partilhar              O principal certame do concelho de Alfândega da Fé, a Festa da Cereja&Co, este ano …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.