Início / Empresas / CIMAA cria de Centro de Dados Informático para o Alto Alentejo. Já foram investidos 3 M€

CIMAA cria de Centro de Dados Informático para o Alto Alentejo. Já foram investidos 3 M€

A CIMAA  — Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, fruto de “uma estratégia regional desenhada em conjunto com os municípios associados” de Alter do Chão, Arronches, Avis, Campo Maior, Castelo de Vide, Crato, Elvas, Gavião, Monforte, Ponte de Sor e Sousel, investiu até ao momento cerca de 3 milhões de euros na implementação de um Centro de Serviços Partilhados, com o propósito de suportar as infra-estruturas de computação e comunicação da administração local do território.

“O Centro de Serviços Partilhados é projecto estrutural para o desenvolvimento da região do Alto Alentejo ao modernizar e melhorar a relação entre as entidades da administração local e os seus cidadãos e empresas, no sentido de garantir serviços desmaterializados de excelência e com recurso a vários canais de comunicação”, refere o presidente da CIMAA, Hugo Hilário, em nota de imprensa.

E acrescenta que “a sua relevância tornou-se superior especialmente, no actual período pandémico, ao permitir o normal funcionamento das entidades, mesmo no cenário de teletrabalho, e com ganhos de qualidade nos serviços prestados”.

Desenvolvimento iniciou-se em 2010

O desenvolvimento deste projecto iniciou-se em 2010, sob a alçada dos Serviços de Modernização Administrativa, Informática e Comunicação da CIMAA, e tem sido financiamento através de fundos comunitários e de verbas dos orçamentos de todas as entidades envolvidas, num reconhecimento claro do valor estratégico do projecto para a região.

Com a localização física em Portalegre e redundância num segundo Site em Elvas, o Centro de Serviços Partilhados consiste num Centro de Dados Informático (Data Center) e conta ainda com uma infra-estrutura de comunicações intermunicipal que, com recurso a várias tecnologias de comunicação, serve com segurança e redundância toda a região do Alto Alentejo.

Em pleno funcionamento, este garante a todos os parceiros envolvidos serviços de computação informática e comunicações seguras, que se traduzem em plataformas centralizadas de colaboração como serviço de e-mail, comunicações unificadas, alojamento de plataformas web ou sistemas de informação geográfica, mas também soluções de virtualização de servidores e ambiente de trabalho, acesso remoto a aplicações, sistemas de atendimento multicanal e soluções de desmaterialização de processos

Aos cidadãos e empresas “tem sido ainda possível disponibilizar diversos serviços geridos e operados de forma centralizada no Centro de Serviços Partilhados, tais como pontos públicos de acesso a WI-FI, plataformas de conteúdos turísticos e culturais, painéis digitais informativos e interactivos, serviços de bilheteira”, reforça a mesma nota de imprensa.

O projecto conta com vários parceiros, entre os quais se destacam o Instituto Politécnico de Portalegre e a Entidade Regional de Turismo do Alentejo.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

CAP analisa evolução do sector agrícola na última década em webinar gratuito

Partilhar              A CAP — Confederação dos Agricultores de Portugal realiza no próximo dia 27 de Maio, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.