Início / Agenda / CiB debate uso de novas tecnologias de melhoramento vegetal em seminário

CiB debate uso de novas tecnologias de melhoramento vegetal em seminário

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

CiB – Centro de Informação de Biotecnologia está a organizar o seminário “Novas Técnicas de Melhoramento: Aspectos Científicos, Técnicos, Sociais e Legais”, a realizar no dia 12 de Dezembro de 2016, em Oeiras.

O objectivo é lançar e aprofundar o debate sobre o uso de Novas Tecnologias de Melhoramento Vegetal (NBTs) em Portugal, “o que irá, sem dúvida, ser muito importante para o melhoramento das culturas agrícolas e que já está a ser implementado por empresas e centros de investigação”, diz a organização.

O seminário pretende ainda “dar visibilidade à posição de Portugal em relação à adopção das NBTs como ferramentas para o desenvolvimento de variedades vegetais agrícolas”.

A inscrição é gratuita, mas obrigatória por e-mail para: geral@cibpt.org. O CiB pede o envio das seguintes informações: nome, e-mail, nº telemóvel e instituição.

Alteração molecular

As “New Breeding Techniques” (NBTs – Novas Técnicas de Melhoramento Vegetal) são um conjunto de metodologias que permitem alterar as características das variedades agrícolas de uma forma molecularmente precisa, para aumentar a sua produtividade e tolerância a factores ambientais.

As NBT são oito e incluem: nucleases dirigidas para um local específico; RNA de interferência (RNAi); mutagénese dirigida para oligonucleótidos específicos; agro-infiltração; cisgénese; enxertia em porta-enxerto modificado; melhoramento reverso; e metilação do DNA dirigida por RNA.

Este conjunto de técnicas têm vindo a ser desenvolvidas “para afinar características das variedades agrícolas. Por exemplo, a técnica de RNAi tem permitido obter variedades resistentes a diferentes vírus, como a introdução da resistência ao vírus do mosaico dourado em feijão, e a Cisgénese permitiu em poucos anos obter uma resistência durável à requeima (late blight) em batata”, explica o CiB.

A Comunidade Europeia discute actualmente a adopção destas tecnologias e em que quadro jurídico devem ser avaliados os seus produtos.

Programa

9h45 – Registo

10h00 – Sessão de Abertura

10h10 – O que são NBTs? (em Português)

| Pedro Fevereiro – Presidente do CiB – Centro de Informação de Biotecnologia

10h50 – Aspectos científicos e aplicação das NBTs (em Inglês)

| Wendy Harwood – Investigadora Senior do Crop Genetics Department (Crop Transformation Group) do John Innes Centre, Norwich, Inglaterra.

11h30 – Coffee-break

11h45 – Enquadramento legal e social das NBTs (em Inglês)

| Joachim Schiemann – Director do Instituto de Biossegurança em Biotecnologia de Plantas do Julius Kuehn Institute (JKI), Federal Research Centre for Cultivated Plants, Alemanha.

12h25 – O Caso Português (a confirmar)

13h10 – Almoço

15h00 – Mesa Redonda com Parceiros | Uso ou não uso de NBTs: como reage Portugal?

| Europabio representada por Beat Spath ou ESA representada por Garlich von Essen (a confirmar)

| ANSEME – Associação Nacional dos Produtores e Comerciantes de Sementes, representada por Joana Aleixo

| FIPA – Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares, representada por Jaime Piçarra

| IACA – Associação Portuguesa dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais por Jaime
Piçarra

| ANPROMIS – Associação Nacional de Produtores de Milho e Sorgo, representada por José Luís Lopes

| ANPOC – Associação Nacional dos Produtores de Cereais, representada por Pedro Manoel

Outros parceiros estão a ser convidados.

17h30 – Declarações finais

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Navio da Marinha acrescenta mais de 37 mil km2 ao mapa do mar português

Partilhar            O navio hidro-oceanográfico D. Carlos I regressou hoje, 10 de Agosto, à Base Naval de …

Um comentário

  1. Domingos Leal Ribeiro

    Parabeniso a iniciativa uma vez que a novas tecnologias estão a ser comprometidas uma vez que dia – dia se vê grandes desenvolvivemento de virus comprometindo trabalhos de protecção e produção vegetais tornando baixas o número de apegagamento. Estou sofrendo isso na pele dia pós dia. Ezpero mais fedbek. Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.