Início / Agricultura / Centro Pinus quer conhecer as práticas de fertilização em pinheiro-bravo. Já respondeu ao questionário ?

Centro Pinus quer conhecer as práticas de fertilização em pinheiro-bravo. Já respondeu ao questionário ?

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Centro Pinus — Associação para a Valorização da Floresta de Pinho quer conhecer melhor as práticas de fertilização em pinheiro-bravo mais usuais em Portugal e está a promover um questionário, destinado a técnicos e que pode ser respondido de forma anónima.

O Centro Pinus compromete-se a “divulgar e a dar bom uso aos resultados deste inquérito”, cujo preenchimento levará até 10 minutos, ao qual pode responder aqui.

Se não realiza fertilização pode responder na mesma: demorará 30 segundos e a informação é igualmente importante. Clique aqui.

Objectivos

A Associação para a Valorização da Floresta de Pinho pretende com este inquérito saber se os produtores praticam as suas decisões de fertilização em análises do solo, experiência empírica, sugestão de prestador de serviço ou de técnico de comercialização de fertilizante, ou se o faz de forma experimental.

O inquérito pretende ainda saber como caracteriza os tipos de solo em que realiza a fertilização e que tipo de adubação mais frequentemente se pratica (composto (NPK), fosfatada (P), ou outra).

Centro Pinus

O Centro Pinus é uma associação sem fins lucrativos que reúne os principais agentes da fileira do pinho, incluindo representantes da produção florestal, dos prestadores de serviços, das indústrias, da administração pública, do ensino superior e do sector financeiro.

A associação tem por objecto promover a sustentabilidade do pinheiro-bravo na floresta portuguesa, contribuindo para o fornecimento de matéria-prima adequada às necessidades das indústrias da Fileira.

A actuação do Centro Pinus passa por:

  • Promover iniciativas nomeadamente de carácter científico, técnico e formativo bem como acções de comunicação, divulgação e disseminação;
  • Cooperar com entidades públicas ou privadas em temas de interesse comum;
  • Garantir a representação e defesa dos seus objectivos junto dos organismos e centros de decisão nacionais e internacionais, dos demais grupos de interesses e da opinião pública, contribuindo para a percepção generalizada da importância social, económica e ambiental da fileira do pinho.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Governo dos Açores garante: projecto final do novo matadouro de São Jorge entregue em Setembro

Partilhar            A Secretaria Regional da Agricultura e Florestas dos Açores informou que o projecto de execução …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.