Início / Featured / Carga movimentada nos portos continentais cresce 3,3% para 23 milhões de toneladas

Carga movimentada nos portos continentais cresce 3,3% para 23 milhões de toneladas

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os portos comerciais do continente movimentaram, nos primeiros três meses do ano de 2019, quase 22,7 milhões de toneladas, um valor superior em 3,3% ao registado em igual período de 2018 e correspondente a uma variação global de cerca de +725 mil toneladas (mt). Estes são os dados hoje, 17 de Maio, divulgados pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT).

Segundo o relatório de acompanhamento da AMT, referente ao mês de Março, este comportamento explica-se essencialmente pelo desempenho dos portos de Sines e Leixões, onde se verificaram acréscimos de 5,8% e de 5,3%, respectivamente.

Leixões regista a melhor marca de sempre

Salienta a AMT o facto de Leixões registar a melhor marca de sempre nos períodos homólogos ultrapassando o registo de 2017 e de Sines manter uma quota de mercado maioritária absoluta de 51,6%, seguido de Leixões com 20,5% e Lisboa com 11,9%.

A carga contentorizada (+793 mt), os produtos petrolíferos (+446 mt), os outros granéis líquidos (+134 mt), a carga fraccionada (+105 mt), a carga Ro-Ro (+96 mt) e os minérios (+53 mt) foram as que mais contribuíram positivamente para o desempenho dos portos comerciais.

Por oposição, as cargas que registaram quebras foram essencialmente o petróleo bruto (-586 mt), os outros granéis sólidos (-141 mt) e os produtos agrícolas (-121 mt).

Mais de 755 mil TEU

No segmento dos Contentores, constata-se que o sistema portuário do continente movimentou no primeiro trimestre de 2019 um volume que ultrapassa os 755 mil TEU, uma variação homóloga de +12,7% face a igual período de 2018, destacando-se Leixões e Setúbal pelo facto de, após variações respectivas de +18,2% e de +0,7%, atingirem as melhores marcas de sempre.

Ainda neste segmento, sublinha-se que o porto de Sines reforça a liderança com uma quota de 57,7%, superior em +1,7 pp ao valor homólogo de 2018, seguindo-se Leixões (22,4%), Lisboa (14,2%) e Setúbal (5%).

Pode ler o relatório completo aqui.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Quais as competências e qualificações necessárias no mundo rural? Conheça o resultado do estudo da CAP

Partilhar            A CAP — Confederação dos Agricultores de Portugal realizou, desde Agosto de 2019, um inquérito …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.