Início / Economia / Capturas de pescado em Portugal diminuem 15,4% em Agosto de 2020. Volume de sardinha quase duplicou

Capturas de pescado em Portugal diminuem 15,4% em Agosto de 2020. Volume de sardinha quase duplicou

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O volume de capturas de pescado em Portugal, em Agosto de 2020, diminuiu 15,4% (-27,4% em Julho), justificado pela menor captura de peixes marinhos (sobretudo cavala e carapau), bem como de crustáceos e moluscos, revela o Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Outubro de 2020, do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Às 13.775 toneladas de pescado correspondeu uma receita de 28 636 mil euros, valor que representou um decréscimo de 11,1% (-15,4% em Julho).

Açores e Madeira

Na Região Autónoma dos Açores foram capturadas 1.311 toneladas de pescado, ou seja, uma diminuição de 30,4% (+18,1% em Julho), resultante sobretudo da menor captura de tunídeos. Na Região Autónoma da Madeira as 470 toneladas capturadas representaram igualmente um decréscimo de 49,0% (-60,7% em Julho), devido principalmente à menor captura de tunídeos e de peixe-espada.

Peixes marinhos

O volume de peixes marinhos capturados a nível nacional foi de 12.504 toneladas e teve uma diminuição de 16,3% (-28,7% em Julho). Para esta situação contribuiu o menor volume de captura de cavala (-46,4%), com 3.178 toneladas, carapau (-39,0%), com 1 611 toneladas, tunídeos (-43,9%), com 1.217 toneladas e peixe-espada (-11,8%), com 396 toneladas capturadas.

Volume de sardinha quase duplicou

Em contrapartida, o volume de sardinha quase duplicou em relação ao mês homólogo (+97,4%), tendo atingido as 3.455 toneladas capturadas ao abrigo do Despacho n.º 7424-A/2020 de 24 de Julho, que determinou o limite de descargas desta espécie com a arte de cerco a partir do dia 1 de Agosto de 2020.

Registou-se igualmente um maior volume de descargas de biqueirão (782 toneladas), cuja captura quase triplicou em relação ao mês homólogo de 2019, ainda que tenham sido implementadas medidas de gestão sustentável deste recurso, expressas em despacho da DGRM (Despacho nº 18 DG 2020 de 23 de Julho).

Crustáceos 

O volume de crustáceos (141 toneladas) mostrou um decréscimo de 9,6% (+7,6% em Julho), devido principalmente ao menor volume de gamba branca, lagostim e percebe. As 1.129 toneladas de moluscos representaram também uma diminuição de 5,6% (-17,1% em Julho), sendo de destacar a captura inferior de polvo, choco, berbigão e mexilhão.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Associação de Proprietários Rurais contra “intenção de acabar com os cercados de caça maior”

Partilhar            A Associação Nacional de Proprietários Rurais Gestão Cinegética e Biodiversidade (ANPC) está preocupada com algumas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.