Início / Agricultura / Brasil, China, Estados Unidos. Vinhos do Tejo querem crescer nos mercados externos

Brasil, China, Estados Unidos. Vinhos do Tejo querem crescer nos mercados externos

A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVRT) tem vindo a apostar na promoção internacional dos Vinhos do Tejo. Um estudo, promovido pela Wine Intelligence, identificou a Alemanha, Brasil, China, Estados Unidos da América, Polónia e Reino Unido como mercados estratégicos.

Assim, foi desenhado um Plano de Acções Promocionais que tem vindo a ser implementado e que permitiu um crescimento global de 57 por cento, entre 2014 e 2017, nesses mercados.

Viajar para fora de Portugal

Se da China e da Polónia já vieram, este ano, duas comitivas de críticos de vinho, jornalistas, bloggers, sommeliers e outros representantes do comércio visitar a região, este mês é tempo dos Vinhos do Tejo viajarem para fora de Portugal.

Desta forma, vão estar no Brasil para mais uma edição da Vinotejo, a grande prova anual dos vinhos do Tejo. Segue-se a Alemanha, com a estratégica presença na maior feira mundial de vinhos, a ProWein, em Dusseldorf, de 18 a 20 de Março de 2018.

Visitas inversas

“Visitas Inversas” é uma iniciativa que a CVRT estreou em 2014 e que tem vindo a colher generosos frutos, destinando-se a trazer à região especialistas internacionais ligados à promoção e compra de vinho.

Os programas são desenhados a preceito para cada mercado e têm como objectivo mostrar o Tejo como região produtora de vinhos, destacando o seu potencial, a sua história e tradição, os seus terroirs, as suas castas mais características e os seus produtores mais representativos e, é claro, os seus vinhos. Sem esquecer a beleza e as riquezas turísticas, mas também a gastronomia, de mão dada com os vinhos.

China, um mercado mergente

Da China veio um grupo de debutantes, na medida em que era a primeira vez que visitavam não só a região do Tejo, mas o nosso país. Contudo, não foi a primeira vez que os Vinhos do Tejo receberam representantes chineses na região.

A China é um mercado emergente e com enorme potencial no que toca à importação de vinhos, sendo por isso imperativo estreitar relações. A visita foi há menos de um mês e já há contactos firmados, com encomendas a caminho da China.

Polacos 3 dias a provar Vinhos do Tejo

O grupo de polacos veio para uma recheada jornada de três dias. Foram catorze os produtores que estiveram em contacto com este grupo, dando a provar uma selecção dos seus vinhos e mostrando que o Tejo tem tudo para vingar na produção vitivinícola.

Adega do Cartaxo, Casal Branco, Casa Cadaval, Casal da Coelheira, Casal do Conde, Enoport, Falua, Fiuza, João M Barbosa Vinhos, Pinhal da Torre, Quinta da Alorna, Quinta da Badula, Quinta da Lagoalva e Quinta da Ribeirinha foram os contemplados.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

PAN defende renaturalização e interdição da caça no Parque Natural da Serra da Estrela

Partilhar              A deputada única do PAN – Pessoas-Animais-Natureza, Inês de Sousa Real, entregou na Assembleia da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.