Início / Agricultura / Belchim tem novas soluções para controlo da mosca branca e míldio do tomate indústria

Belchim tem novas soluções para controlo da mosca branca e míldio do tomate indústria

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Belchim Crop Protection acaba de reforçar a sua oferta de soluções para os produtores de tomate de indústria com o Valis Plus e o Teppeki.

A mosca branca causa prejuízos elevados para a fileira do tomate de indústria. Face a uma pressão crescente da praga, o alastrar das zonas atacadas, e a diminuição do número de soluções disponíveis de controlo, a Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) concedeu uma autorização excepcional de emergência n.º20/2018 para utilização do Teppeki para o controlo da mosca branca do tomateiro.

O Teppeki é um insecticida sistémico, com acção translaminar que actua sobre formas móveis da mosca branca do tomateiro.

“Com excelente perfile para o homem e ambiente, respeita os auxiliares e não tem classificação toxicológica, sendo um instrumento importante para uma produção sustentável do tomate”, garantem os responsáveis pela Belchim.

Sem resistências cruzadas conhecidas

O Teppeki possui um modo de acção “único, distinto de todos os insecticidas, e sem resistências cruzadas conhecidas, sendo fundamental para uma estratégia racional de prevenção e aparecimento de resistências”, acrescentam.

O Teppeki está homologado no controlo aos afídeos das seguintes culturas:

  • Abóbora: Aphis gossypii-100 g/ha. Aplicar em pulverização foliar após a crise de transplantação, ao aparecimento da praga, até à floração. Número máximo de aplicações por ciclo cultural: 3. Intervalo de segurança 3 dias.
  • Melancia: Trialeuroides vaporariorum – 200 g/ha por irrigação após a transplantação, ao aparecimento da praga, até à floração. Número máximo de aplicações 2. Intervalo de segurança 3 dias.
  • Cerejeira: Mysus cerasi-120-140 g/ha. Pulverizar após ter sido atingido o Nivel Económico de Ataque. Número máximo de aplicações por ciclo cultural: 2. Intervalo de segurança 14 dias.
  • Arroz: Schizaphis graminum, Rhopalosiphum padi – 120 g/ha. Aplicar ao aparecimento da praga após a emergência das panículas. Número máximo de aplicações por ciclo cultural: 1. Intervalo de segurança 60 dias.
  • Tomateiro de Estufa: Myzus persicae e Aphis gossypii – 100-120 g/ha em aplicação foliar. Número máximo de aplicações: 2 por ciclo vegetativo. Primeira aplicação uma semana após a transplantação, segunda aplicação uma semana após a primeira. Intervalo de segurança 3 dias.

Para usos menores o Teppeki está autorizado nas culturas do arroz e tomate de estufa para combate a afídeos.

Pode consultar a ficha técnica do Teppeki aqui.

Valis Plus contra o míldio

Os produtores de tomate passam a ter também disponível para o controlo do míldio do tomateiro o Valis Plus, à base de valifelato e cobre.

O Valis Plus “é o primeiro produto que combina dois tipos de cobre (oxicloreto e hidróxido de cobre), garantindo uma acção contínua do cobre, e excelente eficácia resultante da combinação com o valifelanato (o mais recente CAA do mercado)”, refere a mesma fonte.

Com acção preventiva, curativa e anti esporulante, o Valis Plus é rapidamente absorvido pela planta, onde permanece activo e protege a planta por um período mais longo, devido ao efeito translaminar e dispersante na folha, ao mesmo tempo que estimula as defesas naturais da planta.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Conserveira Pinhais comemora centenário a preservar receitas com 100 anos

Partilhar            A Pinhais comemora no dia 23 de Outubro 100 anos, período durante o qual pouco …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.