Início / Agricultura / Beja: PSD vê com “muita preocupação” redução das medidas agroambientais do PDR 2020

Beja: PSD vê com “muita preocupação” redução das medidas agroambientais do PDR 2020

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Comissão Politica Distrital do Partido Social Democrata (PSD) vê com “muita preocupação” a informação do Ministério da Agricultura no que concerne à redução das medidas agroambientais no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) previsto para a campanha agrícola de 2020/2021.

O anúncio foi feito no sentido de informar os agricultores que o Ministério da Agricultura iria assumir os compromissos agroambientais firmados com os agricultores portugueses no âmbito da Politica Agrícola Comum (PAC), mais especificamente no PDR 2020 mas apenas para uma única medida ou operação por agricultor, alegando que o faz, “dado o elevado impacto nos rendimentos das explorações agrícolas e na adopção de boas práticas ambientais, factores determinantes para a sustentabilidade do sector”.

Em comunicado, o PSD de Beja diz que a maioria dos agricultores portugueses e a grande parte deles com explorações em regime de sequeiro, candidatam-se a várias medidas no sentido de garantirem a sustentabilidade das suas explorações, entre as quais, Modo de Produção Biológico, Manutenção das Raças Autóctones, Modo de Produção Integrada, Apoios Zonais (Rede Natura), sementeira directa, rega eficiente, entre muitas mais, incluindo também medidas silvo-ambientais.

Perda de rendimento

“As consequências desta decisão vão conduzir não só a perda de rendimento, que é o que o Ministério alega querer mitigar, como a um enorme retrocesso das boas práticas ambientais. Quem está no terreno sabe que desta forma sem a manutenção dos compromissos agro e silvo-ambientais, num ano ou dois podemos perder o trabalho de uma década, especialmente em zonas ambientalmente sensíveis”, dizem os social-democratas.

E questionam: “É assim que se promove a protecção do ambiente e apoia a agricultura em regiões desfavorecidas?”.

Para o PSD, a manter-se esta decisão por parte da tutela “podemos afirmar que a defesa do ambiente, da biodiversidade e o combate às alterações climáticas não são os desígnios pelos quais pautam a sua acção. Bem como se torna claro que desconhece a relevância da agricultura na defesa da coesão territorial, que levou tão recentemente à criação de um Ministério”.

A Comissão Politica Distrital do PSD diz estar “do lado dos agricultores e das associações do sector na defesa da actividade agrícola que é um dos pilares da economia do nosso distrito, bem como em defesa da manutenção das boas práticas ambientais com vista à sustentabilidade ambiental das actividades agrícola, pecuária e silvícola nacionais”.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Docapesca investe 180 mil euros para reabilitar Lota da Nazaré

Partilhar            A Docapesca – Portos e Lotas adjudicou a empreitada de reabilitação da Lota da Nazaré …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.