Início / Agricultura / Aromáticas Vivas e Spisa Holding expandem negócio em Viana do Castelo. Aposta nas flores comestíveis e produção de insectos

Aromáticas Vivas e Spisa Holding expandem negócio em Viana do Castelo. Aposta nas flores comestíveis e produção de insectos

O Grupo sueco, Spisa Holding, adquiriu mais uma quota de 20% da empresa Aromáticas Vivas, localizada em Viana do Castelo, e decidiu avançar para a terceira fase de ampliação e modernização, com um investimento de crescimento na área de produção de ervas aromáticas frescas e de outros produtos relacionados. O aumento de produção incidirá principalmente nas ervas em vaso e ervas cortadas e ainda no sector dos “microgreens” e das flores comestíveis.

A empresa vai ampliar e modernizar a sua unidade de produção de insectos e outros agentes bióticos, destinados ao combate de pragas e doenças

O Grupo Spisa e a PAM OP, empresa composta pela associação de produtores hortícolas das zonas da Póvoa de Varzim, Barcelos e Vila do Conde, são agora os únicos sócios da Aromáticas Vivas, que emprega 62 colaboradores permanentes directos e abastece o mercado ibérico, diariamente, com uma variada gama de ervas frescas. A empresa já havia adquirido em 2019 a totalidade dos terrenos e instalações, onde labora desde 2009.

Vendas crescem 17%

A Aromáticas Vivas registou em 2020 um aumento de volume de vendas de 17%, tendo produzido mais de 6 milhões de vasos e 2 milhões de unidades de ervas cortadas, tendo-se especializado na produção em módulo biológico com os “mais exigentes parâmetros de qualidade e com a mais avançada tecnologia de produção agrícola”, refere um comunicado da empresa.

A utilização de circuitos fechados de rega e nutrientes “garante a protecção dos solos e o uso racional dos recursos hídricos, constituindo um compromisso do Grupo Spisa, em todas as suas unidades, para assegurar sustentabilidade na agricultura e um precioso contributo para economia circular”.

Ampliação da capacidade produtiva

O mais recente investimento da empresa visa a ampliação da sua capacidade produtiva em cerca de 30%, e a redução progressiva do uso de plástico na produção e embalamento das ervas frescas. Eliminar a curto prazo o uso de material plástico, em toda a cadeia de produção e distribuição, constitui um dos objectivos da empresa, inserido no seu plano de modernização e certificação de qualidade ambiental, correspondendo às exigências dos clientes e consumidores.

Para garantir os “mais elevados padrões de qualidade e segurança alimentar”, a empresa irá, igualmente, ampliar e modernizar a sua unidade de produção de insectos e outros agentes bióticos, destinados ao combate de pragas e doenças.

A produção actual é realizada “sem utilização de qualquer tipo de pesticida químico, facto que constitui uma cultura central da empresa, reforçando a visão e missão da Aromáticas Vivas, como o maior produtor nacional de ervas aromáticas frescas”.

Auxiliares biológicos para exportação

Esta produção de auxiliares biológicos destinar-se-á igualmente ao mercado de exportação, para abastecer as unidades de produção do Grupo Spisa, localizadas em Inglaterra, Suécia, Polónia e República Checa.

Por outro lado, a Aromáticas Vivas “saúda a iniciativa do Município de Viana do Castelo, na elaboração do novo Plano de Intervenção do Espaço Rural de Afife, Carreço e Areosa (PIER), o qual abre novas perspectivas de desenvolvimento das actividades desta empresa e do sector hortoflorícola no Concelho de Viana, criando bases para o crescimento da produção nacional e da auto-suficiência alimentar”, salienta o mesmo comunicado.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 more

Verifique também

Navigator e CTT voltam a juntar-se para envio de postais de Natal gratuitos

Partilhar             more  A The Navigator Company e os CTT – Correios de Portugal lançam a partir …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.