Início / Agricultura / Armadilhas do Município de Montalegre já capturaram 14.801 vespas asiáticas em 2024

Armadilhas do Município de Montalegre já capturaram 14.801 vespas asiáticas em 2024

A Câmara Municipal de Montalegre tem em curso, desde inícios de Março, a nova campanha de combate à Vespa velutina (ou asiática), através do Gabinete Técnico Florestal (GTF), cujo Plano Municipal de Combate é liderado pelo técnico José Luís Tavares.

Até ao momento, a “Rede de Armadilhas de Combate Vespa velutina – 2024” contabiliza seis monitorizações, tendo já capturado 14.801 vespas. Estas monotorizações, com periodicidade quinzenal, têm como objectivo “efectuar a contagem das capturas efectuadas e repor o líquido atractivo usado para capturar as vespas fundadoras (futuras rainhas) procurando, desta forma, interromper precocemente o seu ciclo de vida, evitando que cheguem a desenvolver ninhos”, refere uma nota de imprensa da autarquia.

“A Vespa velutina neste momento está presente em todo o território do concelho de Montalegre, obviamente em proporções muito diferentes. Se em algumas freguesias a sua presença é residual, já noutras é bastante significativa, como poderá ser constatado nos mapas interactivos disponibilizados com actualizações periódicas a cada monitorização”, diz o técnico José Luís Tavares.

E adianta que “na fase actual, a Vespa velutina encontra-se a desenvolver o seu ninho primário, com os primeiros ovos e vespas, eventualmente algumas já passaram para o desenvolvimento do ninho secundário, por isso pede-se a todos os munícipes que estejam atentos e se identificarem algum ninho, contactem o Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal de Montalegre, para que se possa proceder à confirmação e posterior eliminação do referido ninho”.

“É necessário recordar que a Vespa velutina é uma espécie invasora, que está a atacar ferozmente a abelha melífera, responsável pela produção de mel, logo uma ameaça à biodiversidade ambiental e também um perigo para a saúde pública, provocando perdas de vidas humanas anualmente”, realça José Luís Tavares.

Documentos:

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Tem porcos? Declaração obrigatória de existências tem de ser feita até 31 de Agosto de 2024

Partilhar              A DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária informa que no mês de Agosto de 2024, …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.