Início / Agricultura / Após concursos desertos, Açores procuram médico veterinário para viver no Corvo

Após concursos desertos, Açores procuram médico veterinário para viver no Corvo

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Ilha do Corvo está oficialmente sem médico veterinário desde o início de Setembro, uma vez que a profissional que lá estava em permanência pediu transferência para o continente. A contratação já está autorizada, mas falta encontrar quem queira trabalhar na mais pequena ilha dos Açores.

A Direcção Regional da Agricultura e os Serviços de Desenvolvimento Agrário das Flores e do Corvo têm entrado em contacto com a Ordem dos Médicos Veterinários, as universidades, bem como com jovens médicos veterinários que trabalham noutras ilhas para tentar encontrar profissionais que se disponham a ir trabalhar e viver para o Corvo.

Em 2015 foi colocado um médico veterinário no Corvo, mas, por razões familiares, ausentou-se, não mais regressando ao posto de trabalho, refere uma nota do Governo Regional dos Açores. Um ano depois foram abertos dois concursos para a contratação de médicos veterinários que, por terem ficado desertos, levou a que a Secretaria Regional abrisse um terceiro concurso, cuja vaga foi preenchida por uma médica veterinária, que pediu, este ano, transferência para o continente, deixando novamente a vaga em aberto.

A Secretaria Regional da Agricultura e Florestas dos Açores tem mesmo em curso um procedimento administrativo com vista à contratação de novo médico veterinário para a Ilha do Corvo, revelou hoje, 26 de Setembro, o director Regional da Agricultura, acrescentando que têm sido feitas várias diligências para atrair candidatos.

Necessidades veterinárias cumpridas

“Está já autorizada a contratação de um médico veterinário para o Corvo, em regime de prestação de serviço, enquanto decorre outro processo de recrutamento, em regime de contrato por tempo indeterminado em funções públicas”, afirmou José Élio Ventura.

José Élio Ventura assegurou, no entanto, que todas as necessidades ao nível dos serviços de veterinária da responsabilidade da administração pública “têm sido semanalmente cumpridos” através da deslocação de um médico veterinário ao Corvo, quer a partir da equipa que se encontra sedeada nas Flores, quer das equipas que desempenham funções na Terceira ou em São Miguel.

O director Regional da Agricultura disse ainda que todo o trabalho ao nível do plano de controlo e erradicação de doenças, como é o caso da brucelose, tuberculoses ou BVD (Diarreia Viral Bovina), estão concluídos no presente ano e tem existido “uma articulação muito estreita” entre a Secretaria Regional e a Associação de Agricultores da Ilha do Corvo no sentido de “avaliar permanentemente as necessidades para que os agricultores corvinos não sejam prejudicados” pela falta de um médico veterinário a residir na ilha.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Associação de Proprietários Rurais contra “intenção de acabar com os cercados de caça maior”

Partilhar            A Associação Nacional de Proprietários Rurais Gestão Cinegética e Biodiversidade (ANPC) está preocupada com algumas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.