Início / Agricultura / António Costa na AgroGlobal: a água foi a principal preocupação que lhe foi apresentada nas conversas com os agricultores

António Costa na AgroGlobal: a água foi a principal preocupação que lhe foi apresentada nas conversas com os agricultores

O primeiro-ministro António Costa, acompanhado pela ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, visitou a feira AgroGlobal, no Cartaxo. Numa declaração à imprensa, o primeiro-ministro afirmou que a água foi a principal preocupação que lhe foi apresentada nas conversas com os agricultores.

António Costa: “o País tem uma dívida de gratidão para com os seus agricultores e deve dar-lhes uma palavra de estímulo e de carinho”

António Costa afirmou que o Plano de Recuperação e Resiliência “tem um conjunto de investimentos importantes” na área do aproveitamento da água. “Vamos fazer investimentos, por exemplo, no Algarve, para aumentar a eficiência hídrica, na barragem do Pisão, para criar melhores condições de uso da água no Alto Alentejo, e vamos prosseguir o programa que contratámos com o Banco Europeu de Investimento relativamente à irrigação de precisão, que terá um novo impulso no âmbito da nova Política Agrícola Comum” da União Europeia.

O primeiro-ministro apontou ainda a importância do trabalho “dos laboratórios colaborativos que têm sido desenvolvidos no País para um melhor aproveitamento das nossas produções tradicionais”.

Agricultura está “num momento de viragem”

Referindo que a agricultura está “num momento de viragem importante com uma nova Política Agrícola Comum, mas também com o Plano de Recuperação e Resiliência”, afirmou a necessidade de que o País tenha “uma agricultura cada vez mais moderna, mais eficiente”.

Para António Costa, esta agricultura deve ter “capacidade produtiva, não só para nos alimentarmos a nós próprios, mas também para continuarmos a aumentar a capacidade exportadora da agricultura portuguesa”.

O líder do Governo referiu também que “ao longo deste mais de ano e meio de pandemia, houve sectores que nunca puderam fechar e que tiveram de vencer os receios da pandemia para que nada nos faltasse e para que, do prado ao prato, houvesse uma cadeia permanente de abastecimento a funcionar”. Por isto, “o País tem uma dívida de gratidão para com os seus agricultores e deve dar-lhes uma palavra de estímulo e de carinho”.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Agrifish debate desenvolvimento da vacinação contra a gripe aviária

Partilhar              Os ministros da Agricultura da União Europeia (UE) vão reunir-se em Bruxelas amanhã, 24 de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.