Início / Agricultura / António Costa e Maria do Céu Albuquerque visitam Aproveitamento Hidroagrícola da Camba

António Costa e Maria do Céu Albuquerque visitam Aproveitamento Hidroagrícola da Camba

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O primeiro-ministro, António Costa, e a ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, visitaram, esta manhã, de 26 de Fevereiro, no âmbito da iniciativa “Governo Mais Próximo”, o Aproveitamento Hidroagrícola da Camba, cuja reabilitação está integrada no Programa Nacional de Regadios.

A reabilitação do Aproveitamento Hidroagrícola da Camba beneficia uma área de 320 ha e está associada a um montante de cerca de 7,4 milhões de euros, materializando a abrangência nacional de um programa cujos reflexos se sentirão em todo o território.

Nas palavras do primeiro-ministro, “o Programa Nacional de Regadios dirige-se a todo o País e é muito importante para garantirmos um uso mais eficiente da água e para melhorarmos o rendimento dos agricultores e a produtividade destes solos e destas culturas. Só há desenvolvimento do interior com a criação de mais oportunidades para as diversas actividades económicas, permitindo a geração de emprego e sendo estabelecidas as condições necessárias para a fixação das populações. Este Programa traz muitas oportunidades. E, do ponto de vista ambiental, é preciso ter em conta que a reabilitação dos regadios é algo essencial para a redução da perda e para a melhoraria dos níveis de eficiência no consumo de recursos. Teremos, assim, uma Agricultura mais sustentável nos três domínios – ambiental, económico e social”.

Melhoraria da eficiência na distribuição de água

Com a execução deste projecto – reabilitação do Aproveitamento Hidroagrícola da Camba – prevê-se que o transporte de água ao longo das condutas registe uma melhoraria ao nível da eficiência na distribuição de água dos actuais 65% para 95%.

“Estamos convictos de que este é um projecto pensado em função do actual contexto e sem esquecer o futuro, um projecto preocupado com os princípios da eficiência hídrica e da sustentabilidade, pretendendo ser ainda um contributo inquestionável para o crescimento socioeconómico desta região, trazendo mais oportunidades para a agricultura e, consequentemente, para outros sectores associados. O regadio representa uma ferramenta muito relevante no reforço da atractividade das regiões e, nestes projectos, as autarquias e as organizações de produtores assumem um papel fundamental para o seu sucesso”, salientou Maria do Céu Albuquerque.

PDR 2020

No distrito de Bragança e no âmbito do PDR 2020, foram aprovados 28 projectos representando um investimento de 39,1 milhões de euros, dos quais 34,6 milhões estão associados ao Programa Nacional de Regadios. Em complemento a este programa e olhando para o conjunto de 28 projectos, foram ainda aprovadas 16 candidaturas de reabilitação de regadios tradicionais, com um investimento público de cerca de 2,1 milhões de euros.

Ainda no que diz respeito a este distrito, foram 6 os projectos aprovados no âmbito da Segurança de Barragens, no montante total de 2,4 M€. No concelho de Alfândega da Fé estão 3 desses projectos: Barragem da Burga, da Estevaínha e do Salgueiro.

Apostar na aliança com a inovação

“Assim, a par destes projectos de modernização, reabilitação e requalificação, vamos continuar a apostar na aliança com a inovação e na busca de ferramentas que permitam a monitorização e a avaliação da utilização dos regadios, procurando sempre apelar ao essencial uso sustentável dos solos nos perímetros de rega. E vamos ainda promover práticas de regadio assentes no uso eficiente da água, incentivando o recurso a água reciclada tratada e a tecnologias de precisão e de monitorização das necessidades efectivas de cada cultura e ao longo dos ciclos de crescimento. Este será o nosso grande projecto: construir alicerces fortes para edificarmos uma agricultura mais sustentável, mais competitiva e mais inovadora”, sublinhou a ministra da Agricultura.

Programa Nacional de Regadios

Recorde-se que, no que respeita ao Programa Nacional de Regadios, no total, este está associado a 560 milhões de euros de investimento visando o desenvolvimento do regadio eficiente. A primeira fase, na qual se insere este projecto, já se encontra em execução.

No âmbito da segunda fase e, mais concretamente, do primeiro Aviso, relativo à zona do Alentejo e com uma dotação de 93 milhões de euros, do total de 10 candidaturas apresentadas, 9 já foram homologadas, representando um montante de 61 milhões € de apoio ao investimento.

Quanto ao segundo Aviso, referente às zonas homogéneas do “Algarve e Sudoeste Alentejano”, “Litoral Norte e Centro” e “Interior Norte e Centro”, com uma dotação de 60 milhões de euros, foram submetidas 17 candidaturas e o investimento elegível candidatado totaliza cerca de 178 M€, “2,8 vezes o valor disponível, algo que ilustra a importância do regadio para a Agricultura”, destacou a ministra Maria do Céu Albuquerque.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Ambição Agro 2020-30. CAP defende implementação de novas infra-estruturas de retenção, armazenamento e distribuição de água

Partilhar            A CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal defende a implementação de novas infra-estruturas de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.