Início / Featured / Ana Paula Vitorino: cumprir o desígnio do mar “é tecnologia, economia, inovação, sustentabilidade, glamour”

Ana Paula Vitorino: cumprir o desígnio do mar “é tecnologia, economia, inovação, sustentabilidade, glamour”

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, afirmou que “cumprir o desígnio do Mar não é coisa do passado, de velho do Restelo. O Mar é hoje. Agora. É conhecimento, tecnologia, economia, inovação, sustentabilidade, glamour”.

Perante uma plateia de professores, empresários e jovens estudantes do Instituto Superior Técnico, Ana Paula Vitorino disse hoje, 6 de Julho, que quer seja nas pescas, nas energias offshore ou em qualquer outra área de actividade, que tenha por base o nosso imenso território marítimo, “não há benefício económico que justifique danos ambientais irreversíveis”.

A ministra referiu, no entanto, que em matéria de energia e de conhecimento dos nossos recursos offshore se deve “ser exigente mas não preconceituosos”.

Na Conferência Internacional de Engenharia e Tecnologia Marítima, organizada pelo Instituto Superior Técnico, a Ministra deixou uma mensagem de confiança no aumento do número de alunos, que frequentarão os cursos de engenharia naval. Aliás, Ana Paula Vitorino sugeriu que a designação fosse “engenharia do Mar” para melhor corresponder aos desafios e oportunidades de futuro.

A ministra reafirmou as linhas estratégicas do Ministério do Mar: conhecimento, soberania e economia. São estes os três vértices de um triângulo ligado por princípios de sustentabilidade.

Propostas do Governo

Ana Paula Vitorino fez uma síntese das propostas que estão a ser trabalhadas pelo Governo, no sentido de “inverter a tendência de decréscimo da Marinha Mercante” nacional e “fazer tudo o que está ao alcance para aumentar a competitividade dos portos nacionais, através de investimentos necessários, mas também da desmaterialização de processos».

Neste contexto, destacou os ganhos da Janela Única Portuária e a necessidade de levar o Simplex do Mar a todo o sistema logístico de apoio na interland.

A ministra reforçou a mensagem no conhecimento a importância da literacia oceânica. O Prémio Mário Ruivo, criado pelo actual governo e as fontes de financiamento à investigação, através do Fundo Azul e dos programas de apoio do Mar 2020, são activos reais que a ministra apresentou às novas gerações de engenheiros.

O objectivo global, traçado em cada proposta política, é duplicar os valores da economia do Mar até 2020. “Não é uma proposta ambiciosa se todos colaborarem para um propósito comum”, disse.

A ministra do Mar deixou os desafios aos professores e investigadores do Instituto Superior Técnico no sentido de reforçarem a oferta de formação multidisciplinar e aos estudantes para “agarrarem as oportunidades de cumprir um futuro sustentável”.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Associação de Bebidas Espirituosas defende fim da proibição de venda de bebidas alcoólicas a partir das 20h00

Partilhar            A Anebe – Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas diz continuar “empenhada em contribuir …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.