Início / Empresas / Amarsul: piquetes de greve “não estão a permitir que seja assegurada a totalidade dos serviços mínimos”
Foto: Fiequimetal

Amarsul: piquetes de greve “não estão a permitir que seja assegurada a totalidade dos serviços mínimos”

A greve na Amarsul – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos começou com adesão total paralisou os ecoparques de Palmela e do Seixal, garante a Fiequimetal – Federação Intersindical, afecta à CGTP-IN. E a direcção da Amarsul informa que, na sequência da greve a decorrer ao trabalho habitual entre os dias 29 de Novembro e 3 de Dezembro e ao trabalho suplementar entre os dias 27 de Novembro e 4 de Dezembro, que “os piquetes de greve não estão a permitir que seja assegurada a totalidade dos serviços mínimos definidos e aprovados pelo Conselho Económico e Social”.

Em comunicado, a Amarsul refere que “já alertou o sindicato para esta situação não aceitável, considerando a necessidade de cumprimento dos serviços públicos essenciais que garantem a saúde pública das populações, e que têm especial relevância em contexto de pandemia, como é o contexto em que esta greve se verifica”.

A Amarsul diz estar “atenta à evolução da situação, nomeadamente às questões de saúde pública associadas à necessidade de cumprimento dos serviços públicos essenciais, e tomará todas as medidas necessárias ao cumprimento dos serviços mínimos, considerando a agravante do contexto de pandemia vivido em todo o País e o estado de calamidade que entrará em vigor a 1 de Dezembro”.

Greve por aumento dos salários

Para a Fiequimetal, “a luta visa exigir da administração que, ao contrário do que tem feito até agora, dê respostas às justas reivindicações dos trabalhadores [da empresa do Grupo EGF (Mota-Engil)], nomeadamente aumentos dos salários”.

Quanto aos valores de adesão registados, a Amarsul informa que no dia 29 de Novembro, a adesão registada foi de 51% e que hoje, dia 30 de Novembro, a adesão registada com os primeiros registos de entrada foi de 39% (valores a actualizar ao final do dia).

No que respeita aos motivos apresentados pelo sindicato, a Amarsul informa que a administração da empresa mantém desde o início “uma política de diálogo, recebendo sempre o sindicato, ouvindo as suas reivindicações e procurando, na medida do possível, dar resposta aos problemas identificados, dando sempre a conhecer os racionais de decisão associados a cada uma das medidas tomadas”.

A Amarsul é responsável pelo tratamento e valorização dos resíduos urbanos dos 9 municípios da Península de Setúbal: Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal.

A empresa valoriza anualmente 459 mil toneladas de resíduos, servindo mais de 800.000 habitantes. A Amarsul procede à valorização energética a partir da extracção do biogás, produzindo 29GWh de energia eléctrica e que é injectada na Rede Eléctrica Nacional.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Captura de de pescado aumenta 67% em Novembro de 2021

Partilhar               O volume de capturas de pescado em Portugal, em Novembro de 2021, aumentou 66,7% …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.