Início / Agricultura / Afinal, porque se colocam roseiras nas vinhas?

Afinal, porque se colocam roseiras nas vinhas?

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Artigo de opinião de Rosa Moreira, Eng.ª Agrónoma, promotora do site A Cientista Agrícola

Artigo adaptado da Circular nº 3 de 2020, da Estação de Avisos de Entre Douro e Minho.

Esta circular, bem como edições anteriores, pode também ser consultada e descarregada em:

1 – www.drapn.pt

Fitossanidade > Avisos Agrícolas > Entre Douro e Minho

2 – http://snaa.dgav.pt/

estações de avisos > Estação de Avisos de Entre Douro e Minho.

Roseiras na vinha: porquê?

Nos últimos anos, vem sendo hábito plantar roseiras nos topos das linhas de Vinha, antigo costume “importado” de França. Estas roseiras serviam, desde meados do século XIX, de indicador para a realização do primeiro tratamento do ano contra o oídio.

O facto de o oídio da roseira (Podosphaera pannosa) manifestar sintomas mais cedo que o oídio da videira (Erisiphe necator), permitia uma certa previsão ou antecipação do ataque de oídio e a aplicação preventiva do enxofre.

podar roseiras

Actualmente, com os métodos de previsão conhecidos, as roseiras têm nas vinhas sobretudo efeito decorativo, apesar de poderem ser utilizadas pelo viticultor, de certo modo, como meio complementar de “previsão”.

Na escolha de roseiras para plantar nas vinhas, há que preferir material colhido em variedades de roseira existentes nas proximidades, de preferência antigas, bem adaptadas às condições locais, medianamente sensíveis ao oídio, remontantes e resistentes à seca.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Relatório da CE: “UE completamente sem pesticidas não é um objectivo realista, incluindo na agricultura biológica, onde pode também ser utilizado um número limitado de pesticidas”

Partilhar            A Comissão Europeia publicou um relatório, que enviou ao Parlamento Europeu e ao Conselho. relativo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.