Início / Agenda / AEP quer levar empresas portuguesas ao Dubai à feira alimentar GulFood

AEP quer levar empresas portuguesas ao Dubai à feira alimentar GulFood

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A AEP – Associação Empresarial de Portugal está a promover a participação de empresas nacionais na Feira GulFood Manufacturing 2017, que terá lugar no Dubai, entre 31 de Outubro e 2 de Novembro de 2017.

O projecto desta visita foi submetido no âmbito do Programa Operacional da Competitividade e internacionalização, Eixo II – Projectos Conjuntos– Internacionalização. A iniciativa está enquadrada no regime legal do sistema de incentivos pelo Regulamento Geral dos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI), e visa contribuir para a internacionalização do tecido empresarial português, ao potenciar o aumento da base de clientes e capacidade exportadora das empresas participantes, e assim reforçar a sua competitividade ao assegurar uma maior orientação da produção para a procura externa.

As inscrições podem ser feitas (aqui) até 28 de Abril.

GulFood Manufacturing caracteriza-se por ser o certame de referência para toda a região do Médio Oriente e uma das mais importantes a nível mundial para a fileira de equipamentos para processamento e packaging alimentar, logística e tecnologias afins. Contou em 2016 com mais de 1.560 expositores provenientes de 58 países e com mais de 32.500 visitantes profissionais de 160 nações.

Segundo a organização desta missão, o valor do sector alimentar nos Emirados Árabes Unidos, a que aparece associada a fileira de equipamentos para a indústria da hotelaria e restauração, ultrapassa os 3,6 mil milhões de dólares anuais, sendo que nos mercados do Conselho de Cooperação do Golfo Pérsico (GCC) este número ultrapassa os 30 mil milhões de dólares, aparecendo a Arábia Saudita como um dos principais importadores.

Um dado importante que reforça o papel do Dubai enquanto plataforma logística para outros mercados, “reside no facto de pelo menos 60% dos produtos importados serem reexportados para outros destinos, com particular destaque para os restantes países do Golfo, mas também para as antigas Republicas Soviéticas, para o Irão, o subcontinente Indiano, e os países do leste Africano. Na região do Golfo Arábico, em média, 55% das importações de produtos alimentares destinam-se ao retalho, sendo que o canal HORECA absorve cerca de 25%”, acrescenta a AEP.

90% dos alimentos são importados

De salientar que os países do GCC importam actualmente 90% das suas necessidades alimentares e de equipamentos para a indústria, estimando-se que atinja os 50 mil milhões de dólares em 2020. A procura global de equipamentos e maquinaria para o processamento alimentar estima-se que cresça 7,6% até 2019 num valor a rondar os 73 mil milhões de dólares. Esta região evidencia, igualmente, um significativo crescimento ao nível da indústria do turismo que tem vindo a ser um dos alicerces do seu desenvolvimento, o que significa “importantes oportunidades na área da indústria e equipamento hoteleiro, processamento alimentar, packaging e logística para o sector, especialmente alavancado com a organização da Expo 2020 que se realizará no Dubai e que se estima consiga atrair mais de 20 milhões de visitantes, sendo que se encontram em construção mais de 170 novos hotéis nos EAU e 550 novos projectos turísticos em todo o Médio Oriente, providenciando mais de 159.000 quartos”, realça a AEP.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Associação de Bebidas Espirituosas defende fim da proibição de venda de bebidas alcoólicas a partir das 20h00

Partilhar            A Anebe – Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas diz continuar “empenhada em contribuir …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.