Início / Agricultura / Acréscimo: de 2016 a 2020, primeira vez, ardeu mais floresta do que área de matos

Acréscimo: de 2016 a 2020, primeira vez, ardeu mais floresta do que área de matos

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Acréscimo — Associação de Promoção ao Investimento Florestal garante que de acordo com os registos oficiais sobre área ardida em Portugal, o presente quinquénio (2016-2020) regista, “pela primeira vez, maior área ardida em floresta e em plantações lenhosas do que em área de matos e de ocupação agrícola”.

“O facto é evidente, mesmo tendo presente que os dados referentes a 2020 são ainda provisórios (actualmente com uma área ardida total de 64.120 hectares, com 48% em área florestal e de plantações lenhosas, 43% em área de matos e cerca de 10% em área agrícola)”, refere um comunicado da Associação.

“Esta situação inverte o estigma de perigosidade associada aos matos. A mesma leva a questionar as opções de política florestal e de ordenamento do território seguidas nos últimos cinco quinquénios”, salienta a direcção da Associação de Promoção ao Investimento Florestal.

E diz que em causa está ainda “a vulnerabilidade crescente do território face à perda de coberto arbóreo e à desflorestação, designadamente no que respeita às ameaças das alterações climáticas e do avanço da desertificação”.

Por último, refere o mesmo comunicado que “fica evidente o agravamento da situação de abastecimento de matéria prima lenhosa às indústrias de base florestal, pondo em causa a sua sustentabilidade, com consequências ao nível do emprego, na produção de riqueza e impactos futuros nas exportações”.

Reajuste na política florestal

Para a direcção da Acréscimo, “urge assim um reajuste na política florestal. Há que adoptar, com urgência, medidas para a redução do risco de incêndio em áreas de floresta e de plantações lenhosas, concretamente, as que actuem sobre as causas da vulnerabilidade destas áreas a este agente abiótico. Aqui, assumem destaque o condicionamento do rendimento rural e outros factores que contribuem para o êxodo rural e o abandono da gestão do território”.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

Petição contra a alteração da idade para assistir ou participar em touradas está a chegar aos 18 mil subscritores

Partilhar              O Conselho de Ministros aprovou no dia 14 de Outubro o decreto-lei que altera a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.