Início / Featured / Açores reivindicam reforço da quota do atum patudo

Açores reivindicam reforço da quota do atum patudo

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Secretaria Regional do Mar e das Pescas dos Açores, através da Direcção Regional das Pescas, solicitou à Direcção Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) o reforço da quota do atum patudo (Thunnus obesus).

Actualmente, a chave de repartição da quota do atum patudo estabelece 85% da quota nacional para os Açores e Madeira.

Refira-se que a quota do atum patudo está a acabar. Faltam pouco menos de 500 toneladas para a Madeira e os Açores atingirem os 85% da quota de captura a que têm direito. As regiões autónomas estão a negociar os restantes 15% da quota reservada para o continente e que não tem sido pescada.

Cabe à DGRM o controlo dos níveis de execução da quota, sendo igualmente da responsabilidade daquele organismo a comunicação dos mesmos aos departamentos governamentais das duas regiões, com competência em matéria de pescas, refere um comunicado do Executivo açoriano.

Paralelamente, e face ao volume de capturas de atum patudo registado até à presente data, que se aproxima do limite da quota disponível, o Governo Regional dos Açores pretende condicionar as descargas daquela espécie nos portos da região, de forma a permitir uma gestão equilibrada das capturas.

A Direcção Regional das Pescas já remeteu uma proposta de Portaria para os representantes da fileira da pesca, nomeadamente a Federação das Pescas dos Açores e APASA — Associação de Produtores de Atum e Similares nos Açores.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

PSD recomenda ao Governo criação de sistema de videovigilância na floresta em todos os distritos de Portugal continental

Partilhar              O Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata (PSD) diz que a existência de sistemas de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.