Início / Agricultura / Açores. Arrancam as obras do Entreposto Frigorífico da Horta. Investimento de 4 M€

Açores. Arrancam as obras do Entreposto Frigorífico da Horta. Investimento de 4 M€

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Governo Regional dos Açores vai investir cerca de quatro milhões de euros na requalificação do Entreposto Frigorífico da Horta, no âmbito da estratégia de valorização das pescas, que inclui as áreas das infraestruturas, da aplicação do conhecimento científico à sustentabilidade dos recursos e do reforço da qualificação dos pescadores, afirmou hoje Vasco Cordeiro.

O presidente do Governo Regional, que falava na cerimónia de lançamento da primeira pedra desta obra, salientou que as infraestruturas de apoio à pesca são um dos “pilares desta estratégia”, apontando o exemplo do investimento em vários entrepostos frigoríficos que tem sido concretizado com o objectivo de valorizar o pescado açoriano e reforçar o rendimento dos pescadores.

Requalificação do Entreposto de Santa Maria

“Em todos os Grupos da nossa Região temos obras projectadas ou a decorrer em entrepostos frigoríficos”, sublinhou Vasco Cordeiro, ao adiantar que está já em funcionamento o Entreposto Frigorífico das Velas, estando em fase de arranque as obras de requalificação do Entreposto de Santa Maria.

Em breve será lançado o concurso para o Entreposto Frigorífico das Lajes das Flores e, neste mês de Julho, ficou concluído o projecto para a obra de beneficiação do Entreposto Frigorífico da Madalena.

No segundo dia da visita do Governo ao Faial, o Presidente do Governo salientou, por outro lado, que a valorização plena destes investimentos depende, em grande medida, da capacidade dos pescadores açorianos em “retirar todo o benefício” dos mesmos.

Formação profissional

“É por isso que a formação profissional e a qualificação dos recursos humanos ligados à Pesca tem sido uma componente fundamental desta estratégia”, assegurou Vasco Cordeiro, ao adiantar que, nesta legislatura, já foram realizados cerca de 80 cursos de formação, abrangendo cerca de 750 pescadores, que viram, assim, reforçadas as suas qualificações, na perspectiva de “poderem retirar todo o benefício dos recursos, das infraestruturas e dos equipamentos” ao seu dispor.

Segundo disse, o conhecimento científico é outro dos pilares da estratégia regional para as Pescas, estando, neste momento, a decorrer um projecto-piloto, em parceria com o IMAR, para permitir que a “gestão dos recursos seja feita de forma ainda mais sustentável e mais rigorosa, com a vista a garantir o rendimento desta fileira no futuro”.

Plano de Valorização do Atum

A requalificação do Entreposto Frigorífico da Horta prevê a criação de uma área para o processamento e transformação de pescado fresco, uma opção que se enquadra também nos objectivos previstos Plano de Valorização do Atum.

Depois de recordar que pesca do atum é muito volátil, o Presidente do Governo deu o exemplo da safra deste ano, que já rendeu quase três milhões de euros, correspondentes às cerca de 1.500 toneladas capturadas na Região, muito acima dos cerca de 750 mil euros e das cerca de 390 toneladas verificadas no mesmo período de 2019.

“Temos de nos preparar cada vez melhor para isso e não ficar dependentes da quantidade. É aqui que entram investimentos como este, com potencial à valorização do atum”, assegurou.

Além da zona de processamento de pescado fresco, o Entreposto Frigorífico da Horta vai dispor de duas câmaras de conservação de congelados com capacidade de 500 toneladas, dois tanques de salmoura para congelação com capacidade para 20 toneladas por ciclo, dois túneis de congelação com capacidade para 20 toneladas por ciclo e uma câmara de conservação polivalente com capacidade de 20 toneladas.

Está também previsto um espaço destinado à instalação da sede da Associação de Produtores de Atum e Similares do Açores (APASA).

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

COTHN: diminuir competências da DGAV é “má estratégia com consequências muito graves para a competitividade do sector agrícola”

Partilhar            A direcção do COTHN — Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional diz que “diminuir, ou …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.