Início / Empresas / A energia renovável em Portugal e o papel do crédito neste processo

A energia renovável em Portugal e o papel do crédito neste processo

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Portugal é um exemplo no que respeita às energias renováveis, sendo que 41% da energia produzida no País é, já, renovável. Em crescimento, este sector aproveita também as vantagens do crédito específico para o efeito para garantir os seus resultados positivos. Saiba aqui mais sobre esta temática.

As tecnologias e os instrumentos que nelas estão baseados têm evoluído muito nos últimos anos, mesmo nos sectores industrial e agrícola sentem esta diferença.

Ao longo dos anos, a procura por produtos mais ecológicos tem-se sentido, bem como um aumento da oferta deste tipo de equipamento, tanto nas lojas físicas como na venda por dropshipping ou outros tipos de venda online. A venda de produtos relacionados com as energias renováveis também aumentou, em parte, pelo aparecimento de soluções de crédito específicas, que levam as empresas e os particulares a ter acesso a um maior investimento nos equipamentos sustentáveis.

De facto, ao longo dos anos, Portugal tem sido um exemplo no que respeita à produção de energias renováveis, avançando gradualmente para números que são, por si só, demonstrativos do sucesso.

No ano 2019, Portugal teve um crescimento visível. Os dados apresentados pela REN indicam que, neste ano, ao longo dos seus 12 meses, 51% das energias utilizadas eram renováveis. Das restantes, 6,7% tratavam-se de energia importada e 42,3% de energia não renovável.

O País aproveita, segundo estes números, as suas fontes naturais, como as ondas do mar e o vento, sendo que a posição geográfica é, também, vantajosa para que este tipo de energia possa ser utilizado.

Entre as energias renováveis portuguesas, destaca-se, pois, o papel da energia eólica, hidroeléctrica, fotovoltaica e de biomassa.

Neste momento, Portugal encontra-se entre os países mundiais com maior produção de energia renovável, estando em quinto lugar no ranking relativo à produção de energia eléctrica limpa.

Mas quais são algumas das vantagens deste tipo de energia e qual o papel do crédito no uso das energias renováveis em Portugal.

Energias renováveis: quais são as suas vantagens?

Ao longo dos anos, com a instalação de um pensamento voltado para a ecologia e a sustentabilidade, têm surgido vários discursos que impulsionam a troca das energias não renováveis por soluções mais limpas, que evitem esgotar os recursos da Terra e tenham um menor impacto ambiental.

De facto, as energias renováveis são apontadas como o futuro e as suas vantagens são frequentemente destacadas.
Um dos principais argumentos em prol do uso da energia renovável é que esta é inesgotável, apresentando um menor impacto ambiental e contribuindo para a redução dos índices de poluição, o que ajuda a melhorar a saúde e a qualidade de vida do ser humano.

Ainda que também se fale da energia nuclear como uma fonte limpa de produção energética, as energias renováveis têm a vantagem de serem mais seguras, permitindo de igual forma a autonomia energética dos países e reduzindo a dependência que se tem sentido, ao longo dos anos, sobre os combustíveis fósseis que, como sabemos, são uma matéria esgotável.

Por fim, uma vantagem relacionada com este tipo de energia é a forma como o estudo das energias renováveis tem ajudado a gerar informação e conhecimento sobre a eficiência energética, permitindo o avanço tecnológico.

O investimento em energia renovável e os créditos específicos para o efeito

Uma grande parte da aplicação da energia renovável em solo luso é feita por empresas. Ainda assim, não pode deixar de ser sublinhado o papel da acção individual para garantir o sucesso deste tipo de energia.

Com um pensamento cada vez mais ecológico e focados na redução das emissões de carbono e na rentabilidade da energia, os portugueses têm agido em prol do desenvolvimento deste tipo de energia, recorrendo cada vez mais a painéis fotovoltaicos e painéis solares térmicos para as suas habitações.

A ajudá-los neste processo estão também algumas instituições bancárias e de crédito, que concedem créditos específicos para a energia renovável, tornando o processo de adaptação a este tipo de energia mais viável em termos financeiros.

A par com o crédito, o posicionamento da classe política portuguesa também ajuda à mudança, já que os consumidores que optem pela compra deste tipo de equipamento gozam, ainda, de benefícios fiscais no IRS (30%).

Por norma, estas medidas governamentais e os créditos relacionam-se com a instalação de produtos relacionados com a energia renovável, o que inclui os sistemas de energia solar térmica, de energia solar fotovoltaica, de biomassa, de energia biotérmica, de energia geotérmica e ainda de energia eólica. Os portugueses também aproveitam estas vantagens para melhorar a eficiência energética dos seus espaços através de pequenas acções como a aplicação de vidros duplos nas suas casas.

As empresas podem aproveitar estas vantagens e ainda os benefícios associados às tecnologias relacionadas com o tratamento de resíduos, a reciclagem e a captação de águas.

Por fim, vale a pena salientar que existem projectos relacionados com a redução das emissões de carbono e relacionados especificamente com a conservação da natureza.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Isabel Estrada Carvalhais: “Covid-19 continua a ter repercussões muito negativas no mercado da carne”

Partilhar            A eurodeputada portuguesa, Isabel Estrada Carvalhais, eleita pelo Partido Socialista (PS) manifestou preocupação face à …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.