Início / Agricultura / 7 comportamentos errados que NÃO deve ter com as suas ervas aromáticas

7 comportamentos errados que NÃO deve ter com as suas ervas aromáticas

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Artigo de opinião de Rosa Moreira, Eng.ª Agrónoma, promotora do site A Cientista Agrícola

Para quem segue o que vou publicando n’A Cientista Agrícola já deve ter reparado que Maio foi eleito o mês das aromáticas. Como tal, tenho publicado alguns conteúdos sobre esta temática e até houve direito a um live streaming na página de Facebook e que contou com o eng. Hartmut da Siro-Substratos Profissionais em que foram abordadas bastantes informações importante sobre o tema das ervas aromáticas. Na sequência do que falei, hoje trago-vos um artigo sobre 7 comportamentos errados que não devemos adotar com as nossas ervas aromáticas. Continue a ler o artigo para descobrir quais são.

1 . Elevada densidade de ervas aromáticas

Se é um(a) apaixonado(a) por ervas aromáticas, já deve ter tido vontade de “amontoar” várias aromáticas distintas todas num vaso ou canteiro, plantando-as muito próximas umas das outras.  Saiba que este comportamento apesar de comum, é errado.

No momento em que decidir “construir” o seu próprio jardim de ervas aromáticas, saiba que é condição essencial que garanta que as suas plantas têm espaço suficiente de maneira a que possam crescer e desenvolver-se adequadamente. Este factor é especialmente importante em situações em que se opte por plantar variedades de ervas aromáticas perenes, como os orégãos ou o tomilho por exemplo.

Elevadas densidades de aromáticas num espaço reduzido originam um fraco desenvolvimento radicular e consequentemente fraco crescimento. Nestas condições, as suas raízes não têm espaço suficiente para desenvolver-se e a planta acaba por sofrer com estes condicionalismos. Algumas combinações de aromáticas interessantes:

Manjericão+ cebolinho;

Alecrim+ tomilho;

Hortelã+ erva-cidreira;

Para saber qual o meu espaçamento entre ervas aromáticas, o melhor comportamento a adoptar é testar diferentes compassos de plantação e orientações entre as suas plantas.

Uma ajuda que não pode descurar é as informações/orientações de espaçamento recomendadas no pacote de sementes ou no rótulo do vaso que comprou, uma vez que estão lá presentes grande parte dos esclarecimentos que necessita saber para que tenha sucesso nesta tarefa.

Outro aspecto que deve merecer da sua parte grande atenção são o desenvolvimento de plantas infestantes, dado que estas podem comprometer o crescimento de suas plantas aromáticas, e por essa razão, deve fazer o seu controlo e eliminação regularmente.

2- Exposição solar insuficiente

Caso as suas plantas aromáticas estejam instaladas em locais com sombra é provável que possam vir a ter problemas na floração e desenvolvimento. Por essa razão, deve garantir sempre que possível que as suas aromáticas tenham exposição solar suficiente para que possam crescer e se desenvolver correctamente.

Caso as suas ervas aromáticas estejam plantadas dentro de casa e não consiga encontrar uma janela em que os raios solares incidam, pode ser optar pela solução alternativa da iluminação LED para manter suas ervas bonitas e saudáveis.

Caso o seu jardim ou horta seja um local bastante sombreado, infelizmente não existe muito a fazer para contornar esta situação. O que recomendo nestes casos é que opte por cultivar ervas aromáticas que gostem de sombra e que se desenvolvam bem nestas condições.

A salsa e a hortelã são bons exemplos de ervas que não necessitam de muita luz solar.   Por isso, opte por estas plantas caso tenha um local pouco iluminado pelo sol.

3. Usar vasos ou canteiros demasiado pequenos

Certamente já se deu conta que se cultivar as suas aromáticas em vasos pequenos, a maioria destas acabará por ter um crescimento significativo e sobressair-se dentro desses pequenos recipientes.

Quero deixar neste artigo bem claro que não é obrigatório que cultive ervas aromáticas em recipientes de grandes dimensões, mas tenha consciência que um recipiente espaçoso é fundamental para a longevidade da planta. Caso contrário, a duração do ciclo de vida das suas aromáticas poderá ser comprometida. Caso a(s) erva(s) aromática(s) que escolheu possua um sistema radicular profundo como por exemplo a salsa, o melhor que pode fazer é optar por um recipiente com maior profundidade ao invés de um vaso raso.

Certamente já deve ter reparado que quando compra um vasinho de aromáticas, o recipiente onde esta é vendida é muito pequeno.

No entanto, não fique a pensar que só porque as ervas aromáticas estão momentaneamente bonitas em mini-vasos, no momento da aquisição, que durarão assim nestas condições para sempre.

Após comprar as suas ervas aromáticas, espere pelo menos uma semana para que as suas plantas se acostumem ao novo local e a partir desse momento, faça um transplante para um vaso com dimensões adequadas às características de cada aromática de maneira a que o seu crescimento e desenvolvimento não fique comprometido.

Aromáticos, Culinária, Alimentos, Frescos, Frescura

4. Má Drenagem

Um outro problema frequente das ervas aromáticas é escolher recipientes que não permitem a drenagem necessária.  Por isso, optem sempre por escolher um recipiente que permita a drenagem da água!  Caso reguem muito ou caso chova muito, um vaso com boa drenagem permitirá que a água flua para o fundo sem que ocorra encharcamento e consequentemente, leve ao apodrecimento das raízes da sua planta.

Para promover uma boa drenagem, pode usar pedrinhas no fundo do vaso por exemplo, para ajudar o processo de drenagem ou argila expandida. O mesmo procedimento se aplica caso tenha ervas aromáticas ao ar livre.

Caso as suas ervas aromáticas estejam constantemente com as raízes “encharcadas” o que vai acontecer é que estas não vão prosperar correctamente, e inclusivamente podem até morrer por excesso de água.

Uma outra boa solução é fazer um planeamento antecipado de forma a “estudar” o que vai plantar no seu jardim e também, pode optar por misturar um pouco de areia na terra para facilitar a drenagem. Uma boa dica no que diz respeito a esta aspecto é que pode também escolher aromáticas que não sejam tão susceptíveis a uma má drenagem.

Manjericão, Ervas, Tesoura, Verde, Cozinha, Tempero

5.  Poda incorrecta ou insuficiente

Muitas pessoas esquecem-se de podar as suas aromáticas, prática essencial para evitar o crescimento demasiadamente rápido e a promover uma aparência densa mantendo a sanidade das plantas.

A poda de aromáticas deve ser feita de forma frequente de forma a que estas permaneçam durante mais tempo no seu ciclo de produção.

A partir do momento que comece a observar o aparecimento de flores deve cortá-las o mais rapidamente possível.  Caso não o faça, é provável que as suas plantas se transformem em semente e dessa forma completam o seu ciclo de vida.

Quando isto acontece, muitas plantas aromáticas acabam por morrer. Para evitar que isso aconteça, continue a podar as suas aromáticas com frequência e retire as flores sempre que possível.

6. Rega insuficiente ou em excesso

Uma das razões mais comuns para que as plantas aromáticas acabem por morrer é devido ao excesso ou da escassez de água.  Caso esteja a cuidar de uma aromática dentro de casa, muito provavelmente pode regar demais, uma vez que fica na dúvida se regou o suficiente.

Em muitos momentos, jardineiros amadores começam a entrar em pânico quando percebem que as suas plantas não estão bem e assumem que este problema é devido à falta de água, erradamente.

Regar em demasia pode levar ao apodrecimento radicular que pode ser detectado quando é tarde demais.

Uma boa dica antes de regar é fazer o teste do dedo. Para tal, coloque o seu polegar na terra. Caso o seu dedo saia sem terra agarrada pode ser sinal que a terra está muito seca e que pode ser o momento ideal de regar.

No entanto, tenha em atenção que nem todas as plantas aromáticas têm as mesmas necessidades hídricas. Algumas ervas aromáticas preferem o solo mais seco e não gostam de ambientes húmidos e por isso não é necessário regar frequentemente.

Para facilitar todos os cuidados com ervas aromáticas, plantar em vaso ou canteiro pode ser uma boa opção.

Desta forma, torna-se mais fácil separar, fertilizar e cuidar de cada tipo de planta separadamente. Por outro lado, torna-se mais fácil mudar os seus vasos quando o tempo frio chegar e assim pode ser ainda possível salvar as suas ervas aromáticas anuais dos danos provocados pelas geadas.

7. Não usar um substrato adequado para aromáticas

Um dos principais procedimentos/tarefas que deve assegurar para a manutenção das suas ervas aromáticas bonitas e saudáveis é a escolha de bom substrato adequado a este tipo de plantas.  Muitas vezes, as pessoas acabam por descurar esta dica e o crescimento e desenvolvimento das plantas pode ficar comprometido. Usar substratos adequados a este tipo de plantas, promove as potencialidades genuínas das ervas aromáticas e deve ser utilizado especialmente nas fases de plantação e transplante.

O SIRO Aromáticas é um excelente exemplo de um substrato que pode ser utilizado no cultivo e manutenção das ervas aromáticas.

É enriquecido com adubo orgânico biológico o que oferece uma nutrição equilibrada e prolongada.
É composto por uma fórmula especial enriquecida com macro e micronutrientes de origem natural, assegurando o desenvolvimento dos princípios activos que diferenciam este tipo de plantas nomeadamente o seu valor terapêutico e aromático.

Como pode reparar, ter um jardim de ervas aromáticas não é muito complicado, dado que já tem os conhecimentos suficientes e preparação para ter sucesso no cultivo.

Espero que tenha gostado das minhas dicas!

Bons cultivos 😊

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Museu Virtual da Memória Marítima de Viana do Castelo inaugurado no navio Gil Eannes

Partilhar            O Museu Virtual da Memória Marítima de Viana do Castelo foi inaugurado na ré do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.