Início / Agricultura / 50% dos lagares da região do Alentejo situam-se na zona de Alqueva

50% dos lagares da região do Alentejo situam-se na zona de Alqueva

O Anuário Agrícola de Alqueva de 2022, da EDIA – Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva, revela que “cerca de 50% dos lagares da região Alentejo se situam na zona de Alqueva, mais uma demonstração da importância que a cultura do olival tem para a região”.

“Com um impacto positivo ao nível do ambiente, verificamos que actualmente na região Alentejo o número de lagares de azeite com o sistema de extracção tradicional é praticamente residual face ao número total de lagares existente na região”, realça o documento.

Relativamente à tipologia dos lagares, verifica-se que os lagares industriais são cerca de 61% da totalidade dos lagares existentes na região Alentejo e cerca de 30% na zona de Alqueva.

Concentrando a análise dos dados da zona de Alqueva, verifica-se que a existência de lagares é praticamente transversal a todos os concelhos, excepção feita os concelhos de Cuba, Viana do Alentejo, Grândola, Alvito e Barrancos.

Fica também realçado os três “pólos” mais importantes para a cultura do olival na região de Alqueva, os concelhos de Beja, Ferreira do Alentejo e Serpa. “É aí onde a concentração de lagares de tipologia industrial é maior, coincidindo também com os concelhos que mais área de olival de regadio têm plantado”, acrescentam os técnicos da EDIA.

E adiantam que o número de lagares na região de Alqueva, estabilizou em 2016, nos 53 lagares, por outro lado, na Região Alentejo em 2018 existiu um acréscimo do número de lagares, tendo este valor, ultrapassado a centena de lagares.

Pode consultar o Anuário Agrícola de Alqueva de 2022 aqui.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Reguengos de Monsaraz: “ausência de resposta” da EDIA e da DGADR atrasa Bloco de Rega de Reguengos

Partilhar              A presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, a social-democrata Marta Prates, garante que, …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.