Início / Agricultura / 14 candidatos competem pelo título de Árvore Europeia do Ano de 2021. Já votou no Plátano do Rossio de Portalegre?

14 candidatos competem pelo título de Árvore Europeia do Ano de 2021. Já votou no Plátano do Rossio de Portalegre?

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As votações para o Concurso Europeu Tree of the year 2021 decorrem entre 1 e 28 de Fevereiro. O concurso europeu é uma final constituída pelos vencedores do concurso nacional de cada país, estando Portugal representado pelo Plátano do Rossio de Portalegre, vencedor do concurso Árvore do Ano no nosso País.

Este ano, 14 dos 16 países participantes, concluíram com sucesso o seu concurso nacional apesar de todas as restrições da pandemia, podendo votar nestes concorrentes aqui.

A organizadora do Concurso em Portugal, a UNAC – União da Floresta Mediterrânica, explica que, embora seja possível votar na sua árvore preferida até 28 de Fevereiro, as votações do concurso da Árvore do Ano tornar-se-ão secretas de 22 a 28 de Fevereiro.

Desta forma, os apoiantes não conhecerão o vencedor até ao anúncio final. Os vencedores serão anunciados na cerimónia de premiação on-line, a 17 de Março, durante a conferência “Plantando para o Futuro: 3 mil milhões de árvores na Europa“.

Plátano do Rossio de Portalegre

Plantado em 1838, o ex-libris de Portalegre ganhou o Concurso Árvore Portuguesa do ano 2021 com 2.401 votos, seguido da Oliveira de Mouchão, de Abrantes, que contou com 2.213 votos e da Schotia do Jardim Botânico da Ajuda, em Lisboa, com 1.883 votos.

Plátano do Rossio

O Plátano do Rossio é o maior plátano da Península Ibérica. De porte majestoso, guarda em si, nas suas longas e robustas pernadas, anos e anos de memórias colectivas e segredos infindáveis. Há muito que é lugar de encontros e reencontros, e ali nasceram clubes, associações e bandas filarmónicas.

Não dá para ficar indiferente ao carinho especial que os portalegrenses sentem por este monumento vivo. De impressionante resiliência, continua a pasmar admiradores, a ouvir desabafos de solitários e a inspirar artistas atendendo à sua singularidade estética, à sua importância botânica e comunitária.

Ao contrário do que aconteceu nas edições anteriores em que os portugueses premiaram exemplares arbóreos característicos dos sistemas produtivos agro-florestais – os montados e os soutos, pela primeira vez neste concurso nacional foi eleita uma árvore ornamental, exótica em Portugal e que foi provavelmente introduzida por gregos ou romanos que a utilizavam devido à sua sombra.

Concurso Árvore Europeia do Ano

O Concurso Árvore Europeia do Ano realiza-se desde 2011, trata-se de uma iniciativa que todos os anos consciencializa mais 200 mil pessoas com a natureza, promovendo o cuidado e a preocupação com as árvores, a união das comunidades locais em torno de uma causa e ainda o orgulho dos países na sua herança natural.

Na edição anterior, foram registados 285.174 votos, esperando a Environmental Partnership Association (EPA), organizadora do Concurso Europeu, uma participação ainda maior este ano.

Em 2021, as árvores concorrentes são verdadeiros marcos históricos de cada país; o nosso Plátano do Rossio em Portalegre é um dos maiores plátanos da Península Ibérica. De porte majestoso, guarda em si, nas suas longas e robustas pernadas, anos e anos de memórias colectivas e segredos infindáveis. Há muito que é lugar de encontros e reencontros, e ali nasceram clubes, associações e bandas filarmónicas.

O Plátano Milenar da Curinga o candidato italiano, a Azinheira Milenar de Lecina, uma árvore mística de Espanha, ou da Eslováquia o Carvalho Antigo de Drnava, localizado próximo do antigo terreno da famosa fábrica de ferro do Conde Andrássy em Drnava.

A lista de velhas árvores continua com o Plátano antigo da Federação Russa, com a sua história ligada ao grande comandante do Oriente, Nadir-shah, ou a Velha Amoreira em Veliki Preslav, na Bulgária, com a história de Stefan Karadzha – famoso revolucionário nacional.

A Antiga Árvore-mãe da Holanda é supostamente a mãe de todas as tílias na cidade de Etten-Leur, bem como a Residente Mais Antiga de Medulin na Croácia – A árvore de chocolate, que continua a fornecer bagas de chocolate mágicas às crianças locais.

Este ano podemos também comemorar a extraordinária capacidade de sobrevivência das árvores em condições adversas: o Sobrevivente de Quatro Troncos, o candidato belga de Ypre, é um verdadeiro mestre em sobrevivência, sendo o único remanescente de Ypres do pré-guerra.

A macieira perto de Lidman

Originalmente, a sorveira solitária do Reino Unido – A Árvore Sobrevivente, que já não está sozinha, representando um projecto de 20 anos de reflorestação do coração selvagem do sul da Escócia.

O candidato mais jovem é a Macieira de Perto de Lidmans na República Checa, uma árvore verdadeiramente europeia, como evidenciado pelo facto desta variedade Reneta blenheim ter sido criada no local de nascimento de Winston Churchill. Muito provavelmente, o maior candidato é a árvore francesa – A Pouplie acredita-se ser a encarnação de uma ninfa, filha do sol, que chorou por seu irmão morto à beira do rio.

Se quisermos ver uma verdadeira explosão de flores, então A Árvore de Judas na Colina da Igreja de Mélykút, na Hungria vai surpreender. E para finalizar, de uma beleza incomum, a Tília de São Jan Nepomucen na Polónia, que recebeu seu nome devido ao santuário de São Jan Nepomucen.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Empresa polaca procura fornecedores de leite e alimentos biológicos

Partilhar            Uma empresa polaca distribuidora de natas, leite de cabra, leite de vaca, iogurte grego, queijo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.