Início / Featured / 110 dias de missão. Navio patrulha oceânico Viana do Castelo regressa à Base Naval de Lisboa

110 dias de missão. Navio patrulha oceânico Viana do Castelo regressa à Base Naval de Lisboa

O NRP Viana do Castelo regressou hoje, 26 de Julho, à Base Naval de Lisboa após assegurar o dispositivo naval padrão da Marinha na Zona Marítima dos Açores, de Abril a Julho, período no qual navegou 750 horas e percorreu 6.950 milhas náuticas, cerca de 13 mil quilómetros.

Após mais de três meses em missão, o NRP Viana do Castelo, comandado pela capitão-tenente Vânia Carvalho, realizou acções no âmbito da busca e salvamento, tendo garantido a patrulha e vigilância da Zona Económica dos dos Açores, contribuindo para o exercício da autoridade do Estado no mar nas áreas de soberania e jurisdição nacional, e ainda, marcou presença junto das diversas comunidades das ilhas que constituem o arquipélago.

Proximidade às comunidades

Esta presença, diz um comunicado da Marinha Portuguesa, permitiu uma proximidade às comunidades, materializada através da abertura do navio a visitas ao ​público, registando cerca de um milhar de visitantes.

Adicionalmente, o NRP Viana do Castelo constituiu-se como “um elemento importante nos eventos realizados no âmbito do Dia da Defesa Nacional 2019, tendo recebido a bordo a visita de 336 jovens das Ilhas de Santa Maria, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial”, realça o mesmo comunicado.

Exercícios conjuntos

Neste período o navio da Marinha executou ainda exercícios conjuntos com o Exército Português e com o Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores (TOURO 19) e com a Força Aérea Portuguesa (FAP), nomeadamente através de exercícios com o helicóptero EH-101 presente na região.

Durante a missão a Marinha destaca também as acções de controlo da actividade da pesca, nas quais foram detectadas 23 embarcações em situação de presumível infracção, maioritariamente por estarem a operar sem possuir equipamentos de comunicações adequados e exigidos por lei na sua área de navegação, sem os dispositivos de segurança e salvamento essenciais para a salvaguarda da vida humana no mar (em falta ou em más condições), ou ainda sem a documentação exigida por lei, situações encaminhadas para a Autoridade Marítima Local.

O NRP João Roby rendeu o NRP Viana do Castelo e já iniciou a sua missão na Zona Marítima dos Açores.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Economia do Mar no centro do estreitamento de relações entre Portugal e São Tomé e Príncipe

Partilhar              O ministro da Economia e do Mar de Portugal, António Silva Costa, reuniu-se ontem, 30 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.