Início / Agricultura / Vinhos do Alentejo colocam 55 milhões de litros no mercado em seis meses

Vinhos do Alentejo colocam 55 milhões de litros no mercado em seis meses

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os produtores do Alentejo, só nos primeiros seis meses de 2016, colocaram no mercado 55 milhões de litros de vinho, segundo dados da CVRA – Comissão Vitivinícola Regional Alentejana. Comparado com igual período do ano passado, trata-se de num aumento de 1,2%.

Para garantir a origem e confirmar a qualidade dos vinhos, desde o início do ano a CVRA controlou 204 produtores, fez análises de laboratório e exame sensorial a 2.742 lotes de vinho e apreciou 3.519 rotulagens. No balanço de todo este processo resultou a reprovação de 2,8% dos lotes avaliados, que não podem ser vendidos com o selo de garantia atribuído pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana.

Mesmo com o mercado nacional a absorver cerca de metade deste volume, a exportação é determinante para os Vinhos do Alentejo e o número de exportadores aumentou para 140 nos primeiros seis meses do ano, o que compara com os 136 verificados no mesmo período do ano passado.

10 novos exportadores para a América do Norte

Para a América do Norte houve um aumento de 10 exportadores, mas a redução na exportação para Angola fez diminuir em 7 o número de exportadores para o continente africano. Já para a China, houve mais 6 exportadores nos primeiros seis meses. Para o presidente da CVRA, Francisco Mateus, “este dados sugerem que, apesar da diminuição no volume exportado, houve maior dinamismo por parte dos agentes que exportam”.

Um dos motivos da descida das exportações para fora da UE está relacionado com o facto de no período de Janeiro a Junho de 2015 grande parte das vendas tenham estado alicerçadas no desempenho de Angola, que representou 28% do total, acompanhada pelo Brasil a pesar 25% do total. Este ano, estes dois mercados desceram 63% e 27%, respectivamente, empurrando as exportações para fora da UE para uma baixa de 14% representando menos 745 mil litros.

Em termos de crescimentos, destaque para os desempenhos dos países asiáticos, nomeadamente China e Japão com aumentos de 82% e 440%, respectivamente. A Rússia também aumentou em cerca de 100% face a 2015. Assim, China, Japão e Rússia foram os mercados com maiores crescimentos e, em conjunto, representaram 1/4 das exportações de Vinhos do Alentejo para fora da UE.

Estados Unidos e Brasil a liderar

No entanto, e pese embora os crescimentos verificados nos países asiáticos, nestes primeiros seis meses do ano, são os EUA e o Brasil que se assumem como os principais destinos fora da UE, ainda que com variações negativas face a igual período de 2015.

O Alentejo é a região líder no mercado nacional – quer na quota de mercado em volume (46,4%) quer em valor (45,0%), segundo os dados ACNielsen, na categoria de vinhos engarrafados de qualidade com classificação DOC e IG. Os Vinhos do Alentejo juntam 263 produtores e 97 comerciantes numa área total de vinha de 20 670,68 hectares, sendo que a área total de vinha aprovada para DOC Alentejano é de 14 698 hectares.

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana foi criada em 1989 e é um organismo de direito privado e utilidade pública que certifica, controla e protege os vinhos DOC Alentejo e os vinhos Regional Alentejano.

É também responsável pela promoção dos Vinhos do Alentejo, no mercado nacional e em mercados-alvo internacionais. A sua actividade é financiada através da venda dos selos de garantia que integram os contra-rótulos dos Vinhos do Alentejo.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Comissário dos Oceanos escreve a 22 ministros a pedir solução para a morte acidental de golfinhos

Partilhar            O Comissário Europeu, Virginijus Sinkevičius, responsável pelo Ambiente, Oceanos e Pescas, escreveu a 22 ministros …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.