Início / Featured / Unidade para depósito e transformação de bivalves capturados no Tejo tem construção adjudicada

Unidade para depósito e transformação de bivalves capturados no Tejo tem construção adjudicada

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, deu orientações para a criação de uma Unidade para depósito e transformação de bivalves capturados no Rio Tejo. E informa o Gabinete da ministra que foi adjudicada, pelo Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA), a construção da primeira unidade do género em Portugal.

Isto, após os trâmites do concurso público, com um valor de investimento na construção de cerca de 1,340 milhões de euros (com IVA incluído).

Este projecto, que tem por base um protocolo assinado entre o IPMA, a Docapesca, a Direcção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM), a Administração do Porto de Lisboa (APL) e a Câmara Municipal do Barreiro, visa responder a uma “necessidade urgente de criação de alternativas à exploração actual de bivalves do Tejo, respondendo aos desafios de saúde pública e à problemática social da actividade”, refere uma nota do Ministério do Mar.

Projecto Bivalor

O projecto, designado por Bivalor, prevê operações no domínio da transformação e comercialização, que visam introduzir produtos novos ou substancialmente melhorados e técnicas e processos novos ou melhorados, através da concepção e desenvolvimento de novos processos para a eliminação dos riscos associados a bivalves da classe C, nomeadamente, esterilização térmica e por altas pressões, aposição de barreiras adicionais como a embalagem sob vácuo e redução da actividade de água por processo de liofilização.

Geração de produtos inovadores

Por outro lado, decorre da utilização destes novos processos e da “combinação deles em soluções inovadoras baseadas nos últimos avanços da ciência e tecnologia alimentar, a geração de produtos com novas propriedades e inovadores no mercado nacional”, salienta a mesma nota.

Segue-se a apreciação do processo pelo Tribunal de Contas, devendo a obra ter uma duração de seis meses, após a obtenção do visto do Tribunal de Contas.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Previsões agrícolas do INE: aumento de produção no pêssego abaixo das expectativas

O tempo quente acelerou a maturação das variedades intermédias e tardias de pêssego, reduzindo o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.